Esporte

Revezamento 4x100 m feminino do Brasil desclassificado; americanas ganham nova chance

18/08/2016 14h10

Rio de Janeiro, 18 Ago 2016 (AFP) - A equipe feminina do revezamento 4x100 metros do Brasil foi desclassificada nas eliminatórias após uma confusão com as americanas, que ganharam o direito de tentar novamente a classificação após o incidente.

Em um primeiro momento, as americanas também haviam sido eliminadas, mas ganharam o direito de tentar a classificação pela segunda vez após o incidente com as brasileiras.

Bruna Farias, Franciela Krasucki, Kauiza Venâncio e Rosângela Santos terminaram a segunda bateria em quarto lugar com o tempo de 42.85, nono entre todas as equipes. Mas poucos minutos depois as brasileiras terminaram desclassificadas.

As americanas deixaram o bastão cair na segunda passagem, depois que Kauiza tocou involuntariamente em English Gardner.

Na passagem de Allyson Felix para Gardner o bastão das americanas caiu na pista.

Felix disse que no incidente foi empurrada e estava completamente sem equilíbrio.

Depois de também estar desclassificada por quase uma hora, a equipe americana do revezamento 4x100 m, que também contou com as velocistas Tianna Bartoletta e Morolake Akinosun, terá uma nova chance de avançar à final, ao receber o direito de correr novamente a eliminatória.

A equipe norte-americana precisará superar o atual 8º melhor tempo da classificatória, que pertence à China (42.70).

A Confederação Americana de Atletismo apresentou um recurso por conta do toque.

Depois de examinar o vídeo do incidente, o juiz da prova concordou e concedeu uma nova chance às americanas.

O problema é que a alternativa para as americanas será correr contra o relógio na mesma raia que ocuparam na eliminatória, mas sem nenhuma outra equipe ao lado.

"O juiz examinou o vídeo da prova e concordou que a atleta americana foi obstruída na segunda passagem", afirma um comunicado.

"A equipe dos Estados Unidos vai correr novamente, sozinha, na mesma raia da manhã, às 19H00 para tentar a classificação por tempo", completa a nota.

Mas as atletas brasileiras afirmaram que não entendem o motivo da desclassificação.

"A gente tentou ver o vídeo, mas o que eu consegui ver foi toque só braço com braço, eu vi a Kauiza toda na raia, a gente olhou o pé, estava tudo correto. Mesmo ela se desequilibrando, ela não saiu da raia, ela continuou na raia. Então não sei porque a gente foi desclassificada, temos que ver o que eles vão falar", afirmou Rosângela Santos à imprensa.

A equipe brasileira não contou com Ana Cláudia Lemos, que está com uma lesão no joelho direito, o que resultou na entrada de Kauiza na equipe e em uma mudança na ordem das atletas.

Ana Cláudia corria a segunda perna da prova e Franciela a terceira, mas com a nova formação, Franciela foi a segunda e Kauiza a terceira do time, com Bruna Farias abrindo a prova e Rosângela finalizando o revezamento para o Brasil.

As atletas afirmaram, no entanto, que a mudança não afetou o desempenho do time.

"A equipe estava pronta para fazer um grande resultado", disse Rosângela.

Liderada por Shelly-Ann Frase-Pryce, a Jamaica foi a mais rápida das eliminatórias (41.79).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo