Esporte

Chape segura Independiente na Argentina e sonha com as quartas da Sul-Americana

JUAN MABROMATA/AFP
Imagem: JUAN MABROMATA/AFP

Da AFP

21/09/2016 21h52

A Chapecoense não se intimidou com o peso da camisa do Independiente, recordista de títulos da Libertadores, e obteve um valioso empate sem gols na Argentina, nesta quarta-feira (21), na partida de ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana.

O time catarinense tem a vantagem de decidir o confronto em casa, em 28 de setembro, na Arena Condá de Chapecó. Qualquer empate com gols classifica o time argentino, e outro 0 a 0 leva a decisão para os pênaltis.

Em Alvellaneda, o "Rei de Copas", sete vezes campeão da Libertadores, teve mais posse de bola e dominou o jogo de ponta a ponta, mas esbarrou na boa marcação do time catarinense.

O vencedor do confronto enfrentará nas quartas de final o ganhador do duelo entre o Wanderers, do Uruguai, e o Junior Barranquilla, da Colômbia, que também ficaram no 0 a 0.

No ano passado, a Chape já tinha chegado às quartas de final da Sul-Americana, na sua primeira participação em uma competição internacional, sendo eliminada por outro gigante argentino, o River Plate.

- Jogo travado -Com a experiência de ter jogado no Monumental de Buenos Aires, templo do futebol argentino, o time catarinense não se intimidou com a pressão da torcida em Avellaneda e conseguiu aplicar seu plano de jogo, defendendo com eficiência e levando perigo nos contra-ataques.

Aos 8 minutos de jogo, Thiego apareceu para cabecear na área, mas mandou a bola por cima do gol.

O mesmo Thiego quase fez contra três minutos depois, em cruzamento de Tagliafico, mas a Chape conseguiu segurar o empate até o intervalo, apesar das investidas de Benítez, que ameaçou o gol de Danilo aos 13 e aos 34.

O time argentino teve mais posse de bola, mas faltava poder de criação para abrir brechas na boa marcação dos visitantes.

O meia uruguaio Cristian "Cebolla" Rodríguez, que teve passagem relâmpago pelo Grêmio no ano passado, tentava armar as jogadas, sem muito sucesso.

- Pressão até o fim -A Chape voltou para o segundo tempo com uma mudança: a entrada de Lucas Gomes no ataque, no lugar de Lourency.

O técnico Caio Júnior mexeu mais uma vez aos 18 da segunda etapa, tirando o lateral direito Gimenez, um dos melhores em campo, para a entrada de Sérgio Manoel.

Logo no minuto seguinte, a Chape teve sua primeira chance de gol da partida, quando Josimar quase abriu o placar com um chute desviado pela zaga.

O Independiente também criou boa oportunidade, aos 21. Lançado nas costas da defesa catarinense, Maxi Meza, que acabava de entrar, ficou cara a cara com Danilo e acabou finalizando para fora.

Com o passar do tempo, o time da casa foi levando cada vez mais perigo. Aos 30, Meza, sempre ele, cabeceou no meio do gol após receber um cruzamento da esquerda.

A pressão continuou até o fim, mas a Chape conseguiu segurar o empate heroico e voltará para casa cheio de moral, em busca de mais uma classificação histórica para as quartas da Sul-Americana.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo