Esporte

Manaudou faz 'pausa' na natação e busca novo fôlego no handebol

27/09/2016 15h15

Paris, 27 Set 2016 (AFP) - "Sem inspiração", francês Florent Manaudou, campeão olímpico dos 50 m nado livre nos Jogos de Londres e medalhista de prata na mesma distância no Rio-2016, resolveu fazer uma pausa na sua carreira nas piscinas para se dedicar a sua segunda paixão, o handebol.

"Faço isso sem outra ambição a não ser dar o melhor de mim mesmo e encontrar uma fonte de prazer diferente", explica o 'gigante' de 1,99 m e 99 kg, em comunicado enviado exclusivamente à AFP.

Manaudou, de 26 anos, continuará vinculado ao Cercle des Nageurs, clube de Marselha onde treina desde 2011, mas sua principal atividade esportiva será na cidade vizinha de Aix-en-Provence, onde atuará pelo time B do clube da elite francesa do handebol.

No Rio, o velocista evitou o vexame da natação francesa que havia brilhado em Londres, com participação nas únicas duas medalhas do país na piscina olímpica, os 50 m no individual e o revezamento 4x100 m livre.

Acostumado ao lugar mais alto do pódio, Manaudou, que há quatro anos surpreendeu a todos ao derrotar o favorito César Cielo em Londres, não escondeu a frustração com os dois vice-campeonatos na Cidade Maravilhosa, mas esperou um mês para anunciar sua decisão sobre o seguimento da sua carreira.

- Escapar da pressão midiática -"Eu pensei nas trajetórias de outros nadadores, como minha irmã Laure, Camille Muffat (falecida em um acidente de helicóptero em 2015), ou, mais recentemente, Yannick Agnel", justificou.

Primeira grande estrela da natação francesa, Laure Manaudou, campeã olímpica dos 400 m livre com apenas 17 anos em Atenas-2004, anunciou a aposentadoria em 2009, aos 23.

Já Camille Muffat, que conquistou o ouro no mesma prova que Laure em Londres-2012, encerrou a carreira em 2014, aos 24 anos, um ano antes de falecer de forma trágica, durante as gravações de um programa de televisão na Argentina.

Agnel, campeão olímpico dos 200 m livre na capital inglesa, encerrou sua trajetória com desempenho pífio nos Jogos do Rio.

"Esses exemplos me incentivam a não tomar decisões precipitadas e radicais, para não ter que continuar sem prazer ou pelos motivos errados", argumenta Manaudou, que diz ter "abandonado cedo demais o handebol, esporte coletivo complementar à natação".

"Florent sempre gostou do coletivo e sempre hesitou entre natação e handebol. Ele quase parou a natação para apostar tudo no handebol, pouco antes de 2012", relatou à seu pai, Jean-Luc Manaudou.

Mesmo assim, o Manaudou não cogita fazer carreira profissional no handebol. "Vou para a quadra por prazer e quero acabar com qualquer especulação", avisa.

"Preciso buscar um novo fôlego para escapar da pressão midiática. Não quero que essa pressão acabe com minhas chances de dar mais uma medalha olímpica à França", completa o nadador, deixando entender que ainda pretende voltar às piscinas para buscar o pódio nos Jogos de Tóquio-2020.

Durante essa pausa, 'Flo' também deve aproveitar para surfar, tocar violão e cuidar do seu restaurante em Marselha, chamado "La Piscine" (A piscina).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo