Esporte

City vence Barça de virada e Guardiola se vinga do ex-clube

01/11/2016 20h29

Manchester, Reino Unido, 1 Nov 2016 (AFP) - Em dia discreto do trio 'MSN', o Barcelona foi derrotado de virada por 3 a 1 pelo Manchester City de Pep Guardiola, ex-técnico do clube catalão, nesta terça-feira pela 4º rodada do grupo C da Liga dos Campeões, e desperdiçou chance de se classificar com antecedência às oitavas de final.

Guardiola não vinha tendo muita sorte nos confrontos contra o ex-clube, principalmente devido ao faro artilheiro de Lionel Messi.

Em 2015, quando Guardiola treinava o Bayern de Munique, o craque argentino fez dois dos três gols na vitória pelas semifinais da Champions (3-0). Já na goleada por 4 a 0, na última rodada da atual edição da competição, Messi balançou as redes três vezes.

Nesta terça-feira, o camisa 10 do Barça foi mais econômico, sendo responsável por apenas um gol, mas não foi capaz de segurar a avalanche inglesa na segunda etapa.

Com a vitória o City impediu que o Barcelona, líder do grupo C com 9 pontos, se classificasse com duas rodadas de antecedência e aumentou em muito suas próprias chances de avançar às oitavas.

Agora com 7 pontos, os ingleses têm um de vantagem sobre o Borussia Monchenglabach, que na outra partida da chave superou por 1 a 0 o Celtic, lanterninha com apenas 1 ponto.

Para se classificarem, Guardiola e seus comandados só dependerão de um empate fora de casa contra os rivais alemães, justamente na próxima rodada, em 23 de novembro. No mesmo dia, o Barça avança as oitavas sem depender de outro resultado com vitória sobre o Celtic.

- Duelo de posse de bola -Assim como o duelo de ida no Camp Nou, a partida foi um confronto entre as filosofias de jogo parecidas de Guardiola e Luis Enrique, técnico do Barcelona, ambos focados em ter a posse de bola.

Com isso, tudo é válido para recuperar a posse e as duas equipes pressionavam com veemência e muito alto as defesas opostas, o que acabou traçando o panorama de um jogo aberto e repleto de jogadas de efeito e chances de gol.

Quando a equipe pressionada conseguia escapar da marcação na base do toque, criava boas chances de perigo no contra-ataque. Se tinha a bola roubada, porém, passava sufoco.

No primeiro tempo, o Barcelona começou melhor, conseguindo escapar da forte marcação inglesa devido à enorme qualidade de seu trio ofensivo formado por Messi, Suárez e Neymar e, aos 21 minutos, abriu o placar.

No lance, um contra-ataque mortal, os catalães aproveitaram rebote de uma cobrança de escanteio em sua própria área, com Messi lançando Neymar e correndo o campo todo para receber de volta, invadir a área e tirar do goleiro Caballero.

Apesar do bom jogo do City, tudo indicava que, mais uma vez, Gardiola levaria a pior contra seu ex-clube.

Aos 39, porém, veio o gol que recolocou os 'Citizens' no jogo, enchendo o Itihad Stadium de confiança.

Em mais uma pressão muito bem feita pelo City na saída de bola do Barcelona, Sergio Roberto acabou dando um presente para Aguero. O argentino rapidamente tocou na direita para Sterling, que de primeira cruzou na pequena área para Gundogan mandar para os fundos das redes do Barça.

- City volta com tudo -O gol mostrou ao City que sim, era possível vencer o bicho-papão Barcelona na base da forte marcação e da qualidade de seu jogadores de ataque Gundogan, De Bruyne, Silva e Aguero, menos badalados que o tio 'MSN', mas em dia inspirado.

Com isso em mente, o City voltou a campo no segundo tempo muito decidido em buscar a vitória e dominou o jogo completamente, cirando inúmeras chances de gol.

Aos 2 minutos, Sterling já deu o recado ao Barcelona, finalizando com perigo um rápido contra-ataque, masa bola foi para fora.

Aos 6, após falta sofrida na entrada da área por David Silva, que roubou bola no campo de ataque e foi derrubado por Busquets, De Bruyne cobrou com perfeição no mesmo canto de Ter-Stegen, que foi enganado.

A virada incendiou de vez o Itihad e o City não diminuiu o ritmo.

O Barça, porém, sempre pode contar com a qualidade individual de seus jogadores quando as coisas não funcionam a nível coletivo.

Aos 20, em bola isolada, Suárez recebeu no meio de campo e partiu em velocidade rumo ao gol inglês, deixando para trás no caminho o zagueiro argentino Otamendi com um lindo toque entre as pernas.

Nada egoísta, o uruguaio tocou para o português André Gomes, sem goleiro e marcação, soltar a bomba da entrada da área, mas a bola foi parar no travessão. Não era dia do Barça.

Aos 35, veio o tiro de misericórdia do City. Em outra bola roubada no meio de campo, De Bruyne lançou Silva na ponta direita. O espanhol cruzou de para Aguero, que tentou empurrar para as redes com o peito, mas acabou agindo como zagueiro e afastando a bola. No rebote, Gundogan apareceu para fuzilar a meta catalã.

O gol serviu para validar a proposta de jogo de Guardiola, que vinha sendo criticado pelos modestos resultados da equipe no últimos mês (uma vitória em 7 jogos), e recolocou o City, que chegou a ver a classificação às oitavas em perigo, na briga pela primeira colocação da chave.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo