Esporte

Inter de Milão demite o técnico holandês Frank De Boer

01/11/2016 15h05

Roma, 1 Nov 2016 (AFP) - O técnico holandês Frank De Boer foi demitido pela Inter de Milão, menos de três meses depois de sua contratação, anunciou nesta terça-feira o clube italiano.

Stefano Vecchi, técnico das categorias de base, assumirá o comando do time de forma interina para a partida de quinta-feira contra o Southampton pela Europa League.

Após 11 rodadas, a Inter de Milão ocupa apenas a 12ª posição no campeonato italiano.

Desde que foi comprado por investidores chineses, em junho, o clube já teve dois treinadores.

De Boer, ex-zagueiro do Barcelona e da seleção holandesa, havia sido contratado no início de agosto, 15 dias antes do início da temporada, para substituir Roberto Mancini, que entrou em conflito com a diretoria.

"É uma pena ter terminado assim. Para que um projeto como esse funcione, é preciso ter mais tempo", lamentou o holandês no Instagram.

Desde a histórica 'tríplice coroa' (Série A, Copa da Itália e Liga dos Campeões) de 2010, sob comando de José Mourinho, a Inter teve nada menos de oito treinadores (Benitez, Leonardo, Gasperini, Ranieri, Stramaccioni, Mazzarri, Mancini e De Boer).

O holandês pagou pelos resultados catastróficos, com quatro derrotas nas últimas cinco rodadas do Campeonato Italiano.

No cenário continental, o time ocupa a lanterna de um grupo teoricamente fácil na Liga Europa, com Hapoel Beer Sheva, Southampton e Sparta Praga.

Stefano Vecchi pode até continuar no comando do time depois do duelo com o Southampton, até domingo, contra o Crotone, mas o sucessor definitivo de De Boer deve ser anunciado em breve.

- Simeone, o sonho de consumo -Houve rumores sobre um possível retorno de Leonardo, que foi técnico da Inter na temporada 2010-2011, ou a chegada de Laurent Blanc, ex-treinador do Paris Saint-Germain e zagueiro 'nerazzurro' (1999-2001), mas o mais cotado pela imprensa italiana é Stefano Pioli.

Aos 51 anos, Pioli foi demitido da Lazio ao final da temporada passada, mas obteve bons resultados com o time da capital italiana, que levou ao terceiro lugar da Série A em 2015.

De Boer pensava levar à Inter o futebol ofensivo que é marca registrada do Ajax, que levou ao tetracampeonato holandês de 2011 a 2014, mas esbarrou na confusão que abala o time nos últimos anos.

Com novos proprietários chineses, um presidente indonésio (Erick Thorir) e dirigente históricos italianos ainda influentes, o clube ainda precisa lidar com a punição por desrespeitar o regulamento do fair-play financeiro da Uefa.

Por conta desse problema, a Inter não pode usar na Liga Europa jogadores pelos quais pagou muito caro, como o atacante brasileiro Gabigol (30 milhões de euros) ou o meia português João Mário (45 mi).

Se for realmente escolhido Pioli deve ter muito trabalho pela frente.

Na verdade, o sonho de consumo dos dirigentes é o argentino Diego Simeone, ex-jogador do clube (1997-1999), que é um dos técnicos mais cobiçados da Europa com o sucesso que vem tendo à frente do Atlético de Madri.

Pela confusão atual, esses cartolas terão que se mostrar muito persuasivos para convencer 'El Cholo' de abandonar os 'colchoneros'.

stt-cda/fp/lg

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo