Esporte

Colômbia não sai do zero com Chile em casa nas eliminatórias

10/11/2016 20h56

Barranquilla, Colômbia, 10 Nov 2016 (AFP) - Apesar do domínio do jogo, a Colômbia teve que se contentar com um insosso 0 a 0 com o Chile em Barranquilla, nesta quinta-feira pelas eliminatórias para a Copa do Mundo-2018, um resultado que acabou sendo comemorado pelos chilenos.

Apoiada por seus fanáticos torcedores, seleção 'cafetera' teve a iniciativa do jogo e rondou a área chilena incessantemente, mas não contou com a pontaria afiada de seus atacantes, mesmo com o retorno de Falcao García, que jogou o segundo tempo.

Com o resultado, o Chile segue na 5ª colocação agora com 17 pontos, na zona de repescagem, enquanto a Colômbia aparece na 3ª posição com um ponto a mais.

Os colombianos, porém, poderão perder a posição no pódio, já que o Equador (4º com 17 pontos) e a Argentina (6ª com 16) têm chances de subir na tabela caso vençam seus jogos desta quinta-feira contra Uruguai e Brasil, respectivamente.

Com o resultado, os argentinos precisam vencer no Mineirão para voltar à zona de classificação para o Mundial russo.

Apesar de comemorar o ponto somado fora de casa, o Chile acabou vendo seu capitão e goleiro Claudio Bravo sair machucado no segundo tempo e virar dúvida para a sequência das eliminatórias.

Na próxima rodada, em 15 de novembro, a Colômbia terá vida dura contra a pressionada Argentina em Buenos Aires, enquanto o Chile recebe em Santiago o Uruguai (2º com 20 pontos).

- Ataque contra defesa -O duelo entre colombianos e chilenos foi encarado pelas duas equipes como crucial para as aspirações de classificação à Copa do Mundo.

O Chile, atual bicampeão da América, não vem conseguindo apresentar o mesmo futebol ofensivo e eficiente da era Jorge Sampaoli.

Hoje sob o comando do também argentino Juan Antonio Pizzi, a 'Roja' vem tropeçando nas eliminatórias e precisou da ajuda da Fifa, que lhe deu dois pontos em função da punição à Bolívia pela escalação irregular de um jogador, para entrar na zona de repescagem.

As apresentações irregulares, somadas ao desfalque do maior craque do time, o lesionado atacante Alexis Sánchez, fizeram o Chile entrar em campo muito cauteloso, deixando a bola no pé da Colômbia e se fechando atrás com uma linha de seis defensores.

Jogando em casa, a Colômbia aceitou o desafio chileno e, empurrada pela torcida de Barranqilla, partiu para cima em busca da abertura do placar, pressionando o adversário.

Repleto de jogadores talentosos do meio para frente, o técnico José Pekerman optou por escalar como centro-avante Miguel Borja, grande revelação do futebol colombiano, artilheiro da última Libertadores e da atual Copa Sul-americana, ambas pelo Atlético Nacional de Medellin.

No banco, Pekerman deixou os consagrados Carlos Bacca e, principalmente, Falcao Garcia, convocado pela primeira vez desde a grave lesão no joelho, há mais de um ano.

Com Borja, a Colômbia assumiu o controle do jogo, mas não conseguiu balançar as redes no primeiro tempo, apesar dos 68% de posse de bola.

A melhor chance acabou sendo do próprio Borja, que aproveitou desvio de cabeça de Murillo para pegar de primeira da marca do pênalti, aos 45 minutos. Claudio Bravo salvou o Chile no reflexo.

- Falcao retorna -Para o segundo tempo, Pekerman resolveu apostar na experiência de Falcao, colocando o atacante do Monaco no lugar de Borja no intervalo.

Ao ver o ídolo entrar em campo pela seleção pela primeira vez desde outubro de 2015, a torcida colombiana foi à loucura e o grito de "Tigre, Tigre!" fez o estádio Metropolitano de Barranquilla tremer.

Em campo, Falcao não conseguiu fazer muita coisa, preso na forte marcação chilena.

Apesar da bola continuar nos pés colombianos, o melhor lance do segundo tempo foi chileno.

Aos 33 minutos, em rápido contra-ataque, após escanteio para a Colômbia, a bola sobrou para Vargas. O ex-atacante do Grêmio saiu em disparada ao ataque e deixou Fuenzalida na cara do gol. O companheiro acabou chutando para fora.

Nos minutos finais, a Colômbia, vendo as chances de vitórias caindo drasticamente, abandonou o toque de bola para apostar no 'chuveirinho' e em chutes de fora da área, mas a zaga chilena se manteve sólida e não vacilou, garantindo um importante ponto fora de casa contra um concorrente direto por uma vaga na Copa do Mundo-2018.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo