Esporte

Neymar ofusca Messi e Brasil humilha Argentina no palco do 7 a 1

11/11/2016 00h30

Belo Horizonte, 11 Nov 2016 (AFP) - A provocação do 'Decime que se siente' do torcedor argentino na Copa do Mundo de 2014 deu lugar ao canto "o campeão voltou". Dois anos e meio depois do 7 a 1, o Mineirão foi palco de uma grande vitória por 3 a 0 sobre os 'Hermanos'.

Ao manter 100% de aproveitamento em cinco jogos sob o comando de Tite, o Brasil se manteve na liderança depois de 11 rodadas nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 e deixou a Argentina fora da zona classificação, em sexto lugar.

Cirúrgico no primeiro tempo, apesar do domínio argentino na posse de bola, a seleção pentacampeã mundial deitou e rolou depois do intervalo e poderia até ter vencido o clássico com placar mais elástico.

O Brasil chamou a Argentina para dançar e Neymar foi o grande maestro deste samba de uma nota só. Acostumado a ser coadjuvante de Messi no Barcelona, o jovem craque foi o grande protagonista da partida. Marcou seu gol de número 50 com a seleção, depois de dar ótimo passe para Philippe Coutinho abrir o placar com uma pintura.

Neymar não esteve em campo no 7 a 1 por causa de uma lesão, mas Paulinho, que foi titular naquela partida, lavou a alma brasileira ao anotar o gol que selou a humilhação da Argentina.

Antes da bola rolar, havia certa tensão no ar, com vaias durante o hino argentino e silencio respeitoso para homenagear o eterno capitão Carlos Alberto Torres, falecido no fim do mês passado.

- Neymar e Messi buscam o jogo -De volta à 'Alviceleste' depois de ficar fora das últimas três rodadas, Messi mostrou logo a que veio, com um lençol em Fernandinho, que só conseguiu pará-lo com falta, levando um cartão amarelo com apenas cinco minutos de bola rolando.

O Brasil praticamente não tocou na bola nos primeiros dez minutos, mas Neymar fez questão de responder ao companheiro do Barcelona, ao deixá-lo para trás com um drible da vaca para puxar o contra-ataque.

Os dois craques chamaram logo a responsabilidade, voltando o tempo todo até o meio de campo para buscar o jogo.

Apesar de ter mais posse de bola, a 'Alviceleste' pouco ameaçava. A primeira finalização da partida saiu apenas aos 21 e foi do Brasil, com um chute de bate-pronto de Renato Augusto que passou raspando pelo travessão.

Biglia respondeu logo no minuto seguinte, com uma bomba da entrada da área que obrigou Alisson a se esticar todo para fazer a defesa.

Nessa brincadeira de arriscar de média distância, quem levou a melhor foi Philippe Coutinho.

Aos 25, o meia do Liverpool recebeu de Neymar na esquerda, cortou para o meio e achou o ângulo de Romero, em jogada que virou sua marca registrada na Premier League inglesa.

A Argentina teve uma grande oportunidade com cobrança de falta de Messi na meia-lua, mas o camisa 10 bateu em cima barreira.

No contra-ataque que seguiu a jogada Neymar arrancou pela direita, deu um drible desconcertante em Mascherano, outro companheiro do Barça, mas ficou sem ângulo e bateu rente à trave.

O gol de número 50 do craque com a 'amarelinha' ficou para o finalzinho do primeiro tempo. Gabriel Jesus recebeu no meio, se livrou da marcação de Otamendi e tocou na medida para 'Ney', que chegou livre na esquerda e finalizou de chapa, na saída do goleiro.

- Estratégia suicida de Patón -Para tentar mudar esse panorama, Bauza mexeu no intervalo e tentou o tudo ou nada ao colocar mais um atacante em campo, ao tirando Enzo Pérez para a entrada de 'Kun' Agüero.

O mínimo que se pode dizer é que a estratégia não deu nada certo. Sem um dos únicos jogadores que tentava criar o jogo, a bola não chegava mais lá na frente o Brasil aproveitou os espaços no meio de campo para castigar os 'Hermanos.

O terceiro gol quase saiu aos 3 minutos do segundo tempo, em mais uma grande jogada de Neymar. O craque puxou mais um contra-ataque pela esquerda e cruzou na medida para Gabriel Jesus, que pecou na pontaria.

Aos 9, foi a vez de Paulinho colocar fogo na defesa argentina. Apareceu como elemento de surpresa, fez quase tudo certo, driblou até o goleiro, mas viu Zabaleta tirar a bola em cima da linha.

O volante lamentou a chance perdida, mas teve outra oportunidade aos 13 e não desperdiçou. Marcelo cruzou da esquerda, Renato Augusto se jogou para ajeitar de primeira para Paulinho escorar para as redes.

Até Tite saiu comemorando para abraçar o jogador com o qual conquistou o título mundial com o Corinthians, e a torcida entrou na onda, cantando "o campeão voltou".

A Argentina estava tão perdida em campo que, com um pouco mais de pontaria, o Brasil poderia até ter feito mais gols, porque não outros quatro, para espantar de vez os fantasmas do 7 a 1.

Roberto Firmino, que entrou a dez minutos do fim, se atrapalhou na pequena área e quase se machucou ao acertar a trave ao invés da bola.

Recuperado da lesão que o tirou das últimas partidas, Douglas Costa também participou da festa nos minutos finais, assim como Thiago Silva, que voltou a jogar depois de quase dois anos fora da seleção.

Na próxima terça-feira, o Brasil poderá dar um grande passo rumo à classificação para o Mundial na Rússia se derrotar o Peru, que ganhou confiança ao golear o Paraguai fora de casa por 4 a 1.

lg

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo