Esporte

'Estou em choque', diz comissária sobrevivente do acidente aéreo na Colômbia

02/12/2016 21h48

Medellín, Colômbia, 2 dez 2016 (AFP) - "Estou em choque", escreveu nesta sexta-feira a comissária de bordo que sobreviveu ao acidente aéreo na Colômbia que dizimou o time e a delegação da Chapecoense, que viajava para disputar a final da Copa Sul-americana.

Ximena Suárez Otterburg, a auxiliar de voo boliviana que milagrosamente saiu viva da tragédia ocorrida na segunda-feira à noite, que deixou 71 mortos e outros cinco sobreviventes, compartilhou sua angústia do centro médico onde se recupera, perto de Medellín.

"Deus, não tenho palavras para explicar a dor que sinto", escreveu em sua conta no Facebook numa mensagem acompanhada de fotos com vários dos membros da tripulação do avião da companhia aérea LaMia, de matrícula boliviana, que morreram no acidente de avião que se chocou contra as montanhas perto de um aeroporto de Medellín.

"Sempre no meu coração, meus companheiros, irmãos, amigos de coração, até logo", escreveu Suárez, que foi resgatada com algumas lesões, mas consciente do local do acidente, 50 km ao sudoeste de Medellín, a cidade colombiana onde a Chapecoense iria disputar a final da Copa Sul-americana contra o Atlético Nacional.

A comissária citou Romel Vacaflores, o piloto Miguel Quiroga, o copiloto Ovar Goytia, Alex Quispe, Ángel Lugo e o paraguaio Gustavo Encinas, todos mortos na tragédia que comoveu o mundo inteiro.

Além disso, postou fotos com os membros da tripulação dentro da aeronave em voos anteriores junto a jogadores da seleção da Argentina, como o volante Javier Mascherano e o goleiro Sergio Romero.

"Voem alto que quando chegar minha hora os alcançarei!", escreveu a tripulante, que se recupera de forma satisfatória.

Enquanto isso, nesta sexta-feira, foi divulgado um vídeo do momento em que a polícia colombiana resgatava o outro tripulante que sobreviveu, o boliviano Erwin Tumiri, que também esteve internado na Clínica Somer até as 15h30 locais desta sexta-feira (18h30 de Brasília), quando recebeu alta e saiu na companhia de uma delegação de funcionários bolivianos, explicou à AFP o centro de saúde.

"Alex! Ángel! David! Onde está a minha equipe?", pergunta o homem, visivelmente desorientado, aos policiais que pedem para que poupe energia e não se desgaste, enquanto avaliam o seu estado e o transferem para um centro médico.

De acordo com um comunicado do ministério das Relações Exteriores da Colômbia, que auxilia as formalidades para a repatriação dos sobreviventes e dos corpos da vítimas, Tumiri será transferido nesta sexta "assim que receber alta do centro médico onde está".

O avião que cobria a rota Santa Cruz de la Sierra (Bolívia) - Rionegro (Colômbia) caiu antes de chegar ao aeroporto José María Córdova, que serve a Medellín, por falta de combustível, de acordo com a principal hipótese das autoridades.

A licença de voo da LaMia foi suspensa pelo governo da Bolívia, que começou uma investigação sobre o incidente.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo