Esporte

Representante de avião acidentado na Colômbia foi piloto do presidente boliviano

02/12/2016 22h13

La Paz, 3 dez 2016 (AFP) - O diretor-geral da companhia Lamia, cujo avião caiu na Colômbia provocando a morte de 71 pessoas - em sua maioria membros da Chapecoense -, foi piloto do presidente boliviano Evo Morales, revelou nesta sexta-feira o próprio presidente.

O general Gustavo Vargas "foi meu piloto (estando na presidência), mas também havia sido meu piloto em tempos de confinamento" na década de 1990, quando Morales foi líder sindical e viajava até as estradas bloqueadas para ordenar a desmobilização.

O governante pediu em uma coletiva de imprensa realizada no Palácio Presidencial Quemado de La Paz a investigação de tudo relacionado à companhia aérea.

"Não sabia que tinha autorização, não sabia que era uma empresa com matrícula boliviana", disse. "Tem que ser investigado como se legaliza, como se constitui a empresa e como (obtém) as licenças correspondentes" para voar.

Morales disse que não interferirá na investigação e afirmou não querer fazer comentários sobre "a parte técnica" do avião.

"Autonomia, combustível: isso precisa ser investigado", afirmou.

A imprensa boliviana publicou nesta sexta-feira fotos e vídeos de Morales dentro do avião da Lamia, ao lado da comissaria Ximena Suárez, que sobreviveu ao acidente em Medellin.

O piloto Miguel Alejandro Quiroga, que morreu no acidente, postou no Facebook no dia 15 de novembro: "LAMIA CORPORATION tem a bordo o PRESIDENTE EVO MORALES em seu voo RURRENABAQUE-TRINIDAD".

A principal hipótese levantada como causa do acidente é a falta de combustível do avião charter de matrícula boliviana, que transportava jogadores de futebol e integrantes do corpo técnico da Chapecoense, assim como um grupo de jornalistas, à cidade colombiana de Medellín, onde a equipe brasileira disputaria a partida de ida da final da Copa Sul-Americana.

Vargas já admitiu que o avião descumpriu o plano de reabastecimento de combustível em Cobija, cidade boliviana fronteiriça com o Brasil, ou em Bogotá.

O governo boliviano suspendeu na quinta-feira as operações da companhia aérea Lamia e destituiu funcionários de alto escalão do controle aeronáutico, a quem investiga, informou o ministro de Obras Públicas e Serviços, Milton Claros.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo