Esporte

CR7 x Aubameyang: duelo de artilheiros pela liderança na Champions

06/12/2016 16h53

Madri, 6 dez 2016 (AFP) - Real Madrid e Borussia Dortmund apostam no faro de gol dos astros Cristiano Ronaldo e Pierre-Emerick Aubameyang para um duelo que promete ser explosivo, nesta quarta-feira, no estádio Santiago Bernabéu, valendo o primeiro lugar do grupo F da Liga dos Campeões.

- Bolas de Ouro em jogo -CR7 contra PEA, duas siglas que representam um caminhão de gols: o português é o 'pichichi' da Liga Espanhola, com dez gols marcados, enquanto o gabonês é simplesmente o maior artilheiro dos principais campeonatos europeus, por ter balançado as redes quinze vezes na Bundesliga.

Cristiano, de 31 anos, ostenta outra marcas expressivas: maior goleador da história da Champions, com 96 gols, ele espera se aproximar da marca de cem.

Talvez seja tarde demais para alcançar esse número altamente simbólico até o fim do ano, já que sobra apenas esse jogo contra o Borussia, mas, de qualquer forma, o três vezes melhor do mundo é o grande favorito à conquista da sua quarta Bola de Ouro, depois de 2008, 2013 e 2014. Afinal, ele foi destaque nos títulos europeus do Real e da seleção portuguesa.

Com média superior a cinquenta gols marcados nas últimas seis temporadas, CR7 é uma verdadeira máquina, que chegou a emperrar um pouco nesta edição da Champions. Marcou 'apenas' duas vezes em cinco jogos e passou em branco nos últimos três compromissos do Real no torneio continental.

Mesmo assim, o português tem a confiança total do técnico Zinedine Zidane, que sempre exalta sua "enorme energia". "Ele ganhou tudo nesta temporada, mas ainda está com fome de vitória", resumiu o ex-craque francês.

Já 'Auba', de 27 anos, ganhou a Bola de Ouro africana em 2015, acabando com quatro anos de reinado do marfinense Yaya Touré. É novamente o grande favorito neste ano, graças ao seu faro de gol e sua velocidade, que faz dele o pesadelo de todas as defesas da Bundesliga.

O gabonês também chegou a ser comparado a CR7 por "gostar dos holofotes", resumiu o presidente do Borussia, Hans-Joachim Watzke.

- O preço da fama -Essa caraterística nem sempre foi bem vista na trajetória de ambos os jogadores. Brincalhão e descolado, 'Auba' foi repreendido pelo Borussia no mês passado por causa de uma noitada em Milão, três dias antes do duelo contra o Sporting de Portugal.

Afastado dessa partida, ele voltou no fim de semana seguinte e se redimiu em grande estilo, ao anotar quatro gols na vitória por 5 a 2 sobre o Hamburgo. Um forma de pedir desculpas, antes de abraçar o técnico Thomas Tuchel, o mesmo que foi responsável pelo seu afastamento.

"É um jogador extraordinário, que nos torna melhores. Ele me torna melhor como treinador, sem ele, não podemos atingir nossa metas", elogiou o treinador nesta terça-feira.

Já CR7, campeão de seguidores nas redes sociais, é conhecido pelo seu lado 'metrossexual' e por ostentar carrões na sua garagem, mas seu lado sombrio foi desvendado na última sexta-feira pela investigação "Football Leaks".

O consórcio de jornais esportivos acusa o astro de ter "camuflado 150 milhões de euros em paraísos fiscais".

Seu empresário, o influente Jorge Mendes, também citado na investigação, saiu em sua defesa, alegando que o atleta "está em dia com suas obrigações".

Não é possível dizer se o escândalo afeta diretamente desempenho de CR7, mas fato é que sua atuação no clássico de sábado contra o Barcelona (1-1) não foi das mais convincentes.

- Marcas históricas e sorteio em jogo -Além de se aproximar dos cem gols na competição, CR7 também pode contribuir com um recorde coletivo do Real. Sem perder há 33 jogos, o time comandado por Zidane pode igualar a maior série invicta do clube (34 jogos, na temporada 1988-1989).

Já o Borussia precisa apenas marcar uma vez contra os 'merengues' para igualar o recorde de gols marcados numa fase de grupos da Champions.

Aubameyang e companhia já balançaram as redes 19 vezes em cinco rodadas. Desses, 14 foram marcados contra o Légia Varsóvia (6-0, 8-4).

O recorde de gols em uma única fase de grupos é atualmente dividido por Manchester United, Real Madrid e Barcelona.

Esses desafios estatísticos, porém, são ofuscados pelo verdadeiro objetivo das duas equipes: terminar em primeiro lugar da chave, para cair, em teoria, contra um adversário mais fácil nas oitavas de final e ter a vantagem de jogar a partida de volta em casa.

Ambos já têm presença garantida no mata-mata, mas o Real precisa vencer em casa para desbancar o atual vice-campeão alemão da liderança.

Terminar na frente não é necessariamente uma vantagem, já que 'medalhões' como Bayern de Munique ou Manchester City podem entrar no caminho de CR7 e companhia caso consigam ficar em primeiro.

"Não é preciso fazer cálculos, amanhã (quarta-feira) temos uma partida importante e nosso objetivo sempre é sermos primeiros do grupo. Vamos jogar uma final, uma final de grupo", resumiu Zidane em coletiva de imprensa no Santiago Bernabéu.

cpb-jed/pgr/cto/dmk/lg

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Esporte

Topo