Esporte

País que poderá sediar Mundial-2026 com 48 seleções ainda é incógnita

12/01/2017 13h38

Paris, 12 Jan 2017 (AFP) - A mudança no formato da Copa do Mundo de 2026, a primeira da história com 48 seleções, levantou dúvidas sobre quem terá a capacidade de organizar um evento desta magnitude.

Os países da América do Norte aparecem como favoritos para realizar esse feito, mas existem outros países buscando ser a sede da Copa, que vai ser dividida em 16 grupos, com três equipes em cada chave. O presidente da Fifa e grande condutor da mudança, Gianni Infantino, revelou que o torneio vai ser jogado nos mesmos 32 dias e 12 estádios do modelo atual.

A eleição do anfitrião, prevista para maio de 2020, tem como requisito a rotatividade: a Fifa anunciou que o organizador do Mundial de 2026 não sairá das confederações que receberam o evento nas últimas edições, ou seja, UEFA e Ásia estão fora do páreo.

As chances de um país europeu ser escolhido dependem de candidaturas ruins, "que não correspondam às exigências técnicas e financeiras", precisou o Conselho da Fifa.

A China, país que tem como objetivo se transformar em uma potência do esporte, vai ter que esperar para se tornar sede. O presidente Xi Jinping tem o desejo que o gigante asiático organize, e ganhe, o torneio algum dia.

Em maio de 2015, representantes do alto escalão chinês teriam cogitado uma possível candidatura para receber o Mundial de 2026 ou 2030.

- Dupla ou trio norte-americano -Com Europa e Ásia fora do baralho, a América do Sul pode ter chance, mas parece que os esforços estão direcionados para Argentina e Uruguai dividirem o Mundial de 2030. O ano celebrará o Centenário da Copa do Mundo, que foi organizada pela primeira vez no Uruguai, em 1930.

Por isso, a América do Norte aparece como boa opção.

"Uma candidatura dos Estados Unidos, junto com o Canadá, ou mesmo com o México, seria uma bonita candidatura", comentou o investigador de Direito e Economia do Esporte da França, Jean-François Brocard, à AFP.

A organização conjunta do evento voltou a ser uma possibilidade, que inclusive tem sido elogiada por Infantino. O presidente da Concacaf (Confederação das Américas do Norte e Central e do Caribe), Victor Montagliani, confirmou a chance: "é uma possibilidade".

Sem contar a Oceania, que nunca recebeu a Copa do Mundo, a Concacaf é a confederação que está a mais tempo sem organizar um Mundial: desde 1994, nos Estados Unidos. Além disso, os três países tem as infraestruturas necessárias.

O presidente da federação mexicana de futebol, Decio de María, anunciou em março de 2016 que existe a vontade de receber a Copa pela terceira vez. O país recebeu as disputas de 1970, vencida pelo Brasil de Pelé, e a de 1986, na qual Diego Maradona levantou a taça com a Argentina.

Os Estados Unidos tentaram a candidatura para 2022, mas perderam para o Catar. Por isso estariam interessados em receber a edição seguinte.

- Um efeito anti-Trump? -Jogando contra uma possível candidatura dos Estados Unidos está a imagem do presidente eleito, Donald Trump, que tem um perfil protecionista e uma relação complicada com o México. As declarações de Trump sobre a questão migratória abalaram as relações com o vizinho latino.

A Oceania nunca recebeu a Copa do Mundo, e a Austrália, que passou a disputar as competições da zona asiática em 2006, poderia ser uma opção.

Outra possibilidade seria o Marrocos, que já tentou receber quatro vezes a competição (1994, 1998, 2006, 2010). O continente africano foi sede apenas uma vez, no mundial realizado na África do Sul, em 2010.

Em setembro e novembro de 2016, Infantino declarou que Marrocos teria "todas as condições para receber a Copa do Mundo". Mas o país precisaria rever vários pontos para efetivar uma boa candidatura: o país carece em número de estádios, outras candidaturas tiveram suspeitas de corrupção e, em 2015, o país deixou de receber a Copa da África por um temor ao vírus Ebola.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo