Esporte

Atlético Paranaense enfrenta Millionarios e altitude para avançar na Libertadores

07/02/2017 14h57

Bogotá, 7 Fev 2017 (AFP) - O Atlético Paranaense vai até a Colômbia, na quarta-feira, para enfrentar o Millonarios, pelo jogo de volta da segunda fase da Copa Libertadores, com a vantagem de ter vencido o primeiro confronto por 1 a 0, mas com a altitude de 2640 m como inimiga.

O time brasileiro vai ter a volta do atacante Nikão, que se recuperou de lesão e vai viajar com o grupo para Bogotá. O jogo vai ser disputado no estádio El Campín e os comandados de Paulo Autuori pretendem marcar um gol fora de casa para dificultar a vida dos colombianos.

Outro fator que empolga os atleticanos para o confronto é a boa zaga do time. O clube teve a melhor defesa do Campeonato Brasileiro de 2016, com apenas 32 gols sofridos em 38 rodadas. No jogo de ida, o setor se comportou bem e deu segurança para os torcedores. Se não tiver as redes balançadas na Colômbia, o Furacão garantirá a vaga.

A altitude costuma ser uma aliada de peso para o Millonarios, que tem retrospecto recente positivo enfrentando clubes brasileiros. Quando visitaram o time colombiano, São Paulo (2007), Palmeiras e Grêmio (2012) voltaram para casa derrotados. Autori, porém, não parece assustado.

"Estou acostumado a jogar na altitude, porque já trabalhei no Peru. Bogotá não é tão alto assim, por isso não estamos preocupados", falou Autuori, acrescentando que não fez nenhuma preparação especial para o jogo de quarta-feira.

O zagueiro Paulo André também minimizou os efeitos da altitude para o time paranaense. A preocupação do defensor é tentar adaptar-se ao campo e a velocidade da bola o mais rápido possível.

"Temos que estar tranquilos, organizados e aproveitar a vantagens dos espaços que o Millonarios pode deixar. Precisamos nos adaptar o mais rápido possível ao tempo de bola", falou André.

E o poderio ofensivo da equipe pode contar com a experiência de Grafite, de 37 anos, que foi contratado neste ano e marcou o gol da vitória da primeira partida. O atacante foi campeão da Libertadores com o São Paulo, em 2005, e pode ser um diferencial para dar tranquilidade para os jogadores mais jovens.

Se o Furacão fizer um gol, os colombianos precisam marcar pelo menos três vezes para conseguir a classificação para a terceira fase da competição.

- Pressão nos primeiros minutos -Os colombianos precisam vencer por dois gols de diferença para se classificar sem complicações. Para isso, a equipe vai pressionar o time paranaense nos primeiros minutos, contando com o apoio da torcida para furar o bloqueio brasileiro e marcar logo no início do jogo.

A torcida é a segunda maior da Colômbia, atrás apenas do Atlético Nacional, e promete lotar os 48.600 lugares do estádio.

O técnico argentino Miguel Russo tem alguns desfalques para a partida, como o meia David Silva e o volante Juan Guillermo Domínguez, e admitiu que escalar titulares no fim de semana para o campeonato local foi arriscado.

"Temos um grupo pequeno e existem muitos riscos nessa etapa da competição. Temos um bom time e precisamos diminuir a margem de erro e não cometer muitas falhas porque isso pode custar caro", afirmou Russo, que foi campeão da Libertadores 2007 com o Boca Juniors.

O atacante Elieser Quiñones garantiu que a equipe vai aproveitar os primeiros minutos para buscar a virada e avaliou o Atlético como um time complicado.

"No Brasil foi um jogo muito complicado, eles são fortes em casa. Estamos em desvantagem no confronto, mas vamos pressionar no início para empatar o confronto e depois virar", afirmou Quiñones.

Quem ganhar o confronto enfrentará o vencedor do jogo entre Deportivo Capiatá (Paraguai) e Universitario (Peru), na 3ª fase eliminatória da Libertadores, última antes da fase de grupos.

Prováveis escalações:

Millonarios: Vikonis - Jair Palacios, Pedro Franco, Andrés Cadavid, Deiver Machado - Harrinson Henao, Jhon Duque, Enzo Gutiérrez - Maxi Núñez, Airon Del Valle e Eliser Quiñónez. T: Miguel Ángel Russo.

Atlético Paranaense: Weverton - Jonathan, Paulo André, Wanderson, Sidcley - Otávio, Lucho González, Pablo, Gedoz - Nikao e Grafite. T: Paulo Autuori.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo