Esporte

PSG atropela Barcelona com show de Di María

14/02/2017 20h22

Paris, 14 Fev 2017 (AFP) - O Paris Saint-Germain surpreendeu o mundo ao atropelar o Barcelona por 4 a 0, nesta terça-feira pelas oitavas de final da Liga dos Campeões, e praticamente garantir a classificação para as quartas da competição.

Os donos da casa dominaram a partida do início ao fim, pressionando a saída de bola dos catalães e criando muitas chances de gol. O resultado de 4 a 0 poderia ser ainda mais elástico, não fosse algumas difíceis defesas do alemão Ter Stegen.

O Barça jogou de maneira acuada e previsível. Os gols abateram a equipe e a marcação dos franceses foi impecável, controlando o meio de campo e não deixando espaço para o badalado trio ofensivo 'MSN', que pouco criou. Com isso, o time catalão errou passes bobos e não conseguia encaixar nenhuma jogada que pudesse assustar de fato a meta francesa.

Para se classificar às quartas de final, o Barcelona terá que correr atrás do prejuízo no Camp Nou, na partida de volta, em 8 de março.

Os comandados de Luis Enrique precisarão marcar cinco gols se quiserem avançar à próxima fase diretamente. Se devolveram o placar da ida, a decisão será nos pênaltis.

- Aniversariante artilheiro -Os primeiros minutos foram de pressão absoluta dos donos da casa. O time foi recebido com uma linda festa e foi contagiado com a energia do Parque dos Príncipes, marcando pressão na saída de bola dos catalães. Os culés não conseguiam sair jogando e perdiam a posse em ligações diretas com os homens de meio campo.

A primeira chance clara de gol para os franceses foi aos 11 minutos, mas Ter Stegen fez uma excelente defesa depois de chute cruzado de Blaise Matuidi.

O sufoco inicial deu resultado aos 17 minutos do primeiro tempo. Aniversariante do dia, o argentino Di María cobrou falta da entrada da área com perfeição e mandou para o fundo das redes.

Neymar era o melhor em campo do time do Barcelona e começou a jogada que deixou André Gomes na cara do gol para marcar, mas o português não conseguiu vencer o goleiro alemão Trapp. O brasileiro buscava jogo no campo defensivo, tentava jogadas individuais e pedia a bola incessantemente para ajudar o Barça a reagir, sem sucesso.

Enquanto isso, Ter Stegen trabalhava muito lá atrás. O goleiro fez três importantes defesas no primeiro tempo, tentando evitar um placar mais elástico antes do intervalo... Não conseguiu.

Um dos reforços da janela de janeiro, o alemão Julien Draxler ampliou aos 40 minutos, batendo cruzado, depois de Messi perder a bola no meio de campo. Na origem da jogada, o italiano Marco Verrati, que saiu livre na intermediária e deixou o Draxler na cara do gol.

- Baile francês e apatia catalã -Na volta do intervalo, quem pensou que a equipe local fosse diminuir a intensidade e defender a vantagem se enganou. O PSG voltou com o mesmo ritmo e em apenas cinco minutos chegou a área do Barça duas vezes com perigo.

Aos 10 minutos, o argentino voltou a marcar um golaço da entrada da área. Di Maria recebeu, fintou os zagueiros e bateu cruzado. A bola fez uma bela curva e foi morrer no ângulo de Ter Stegen.

Cinco minutos depois o argentino, nome do jogo, deu lugar ao brasileiro Lucas e foi ovacionado por um Parque dos Príncipes em chamas.

Aos 26 minutos, o uruguaio Edinson Cavani recebeu excelente passe do belga Thomas Meunier e fez o 7° gol dele no torneio europeu. Cavani é o atual artilheiro das ligas europeias, o Bota de Ouro, e soma agora 34 gols em 32 jogos na temporada.

Com o gol, Cavani também quebrou a marca de 420 minutos sem marcar contra o Barcelona, somando todos os três confrontos desta década.

Nos minutos finais, o Barça tentou reagir e encontrar um gol para diminuir o enorme prejuízo, mas parou na atuação do jovem Presnel Kimpembe, que estreou na Champions no lugar do brasileiro Thiago Silva e não sentiu a pressão. O zagueiro ganhou todas as divididas e colocou Messi no bolso.

As únicas chances claras foram um chute de Neymar, aos 33, e uma cabeçada do francês Samuel Umtiti na trave, aos 38 minutos.

Como geralmente acontece quando o Barcelona entra em campo, os torcedores que presenciaram a partida voltaram para casa impressionados. Desta vez, porém, foi pela incrível atuação do PSG, merecedor da maior goleada de sua história.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo