Esporte

Flamengo desperdiça chances e acaba derrotado por 1 a 0 pela Universidad Católica

16/03/2017 00h06

Santiago, 16 Mar 2017 (AFP) - O Flamengo foi superior durante boa parte do jogo contra a Universidade Católica e desperdiçou inúmeras oportunidade de abrir o placar, mas acabou derrotado por 1 a 0, nesta quarta-feira pelo grupo 4 da Copa Libertadores, em Santiago.

Apesar de ter criado o maior número de chances, o Flamengo sofreu um gol de cabeça do atacante uruguaio Santiago Silva aos 29 minutos do segundo tempo e, com um jogador a menos, após a expulsão do colombiano Orlando Berrío, aos 38, não teve forças para reagir.

A derrota foi a primeira do Flamengo dede outubro do ano passado. Nesta temporada, o Mengão tinha disputado 12 jogos oficiais, com 10 vitórias e dois empates.

Com o resultado, a Universidad Católica assumiu a liderança do grupo 4 ao lado do Atlético Paranaense, ambos com 4 pontos, enquanto o Flamengo vem logo atrás com 3 pontos. O lanterninha da chave é o argentino San Lorenzo, que ainda não pontuou.

Na próxima rodada, no dia 12 de abril, o Flamengo receberá o Atlético Paranaense no Rio para um duelo brasileiro, enquanto o San Lorenzo viaja para enfrentar a Universidad Católica em Santiago.

- Domínio rubro-negro -Com a ausência do habitual titular Federico Mancuello, que ficou no Rio devido à concussão sofrida na vitória por 4 a 0 sobre o San Lorenzo, na estreia na Libertadores, uma vaga se abriu na equipe.

Aparentemente, a disputada pela titularidade estava entre o colombiano Orlando Berrío, xodó da torcida rubro-negra, e Gabriel, umas das peças favoritas do técnico Zé Ricardo.

O treinador, porém, fez suspenso e acabou surpreendendo, escalando o contestado Márcio Araújo ao lado de outros dois volantes, Rômulo e William Arão.

No ataque, nenhuma surpresa, com o camisa 10 Diego servindo Everton e Paolo Guerrero.

O objetivo de Zé Ricardo era claro: fortalecer o time defensivamente, controlar o ímpeto chileno do início do jogo e ganhar o meio de campo.

A estratégia deu certo.

O Flamengo foi tomando controle do jogo e criou as melhores chances de marcar.

Não fosse uma displicência infantil do zagueiro Rafael Vaz, que errou em um recuo fácil e deixou o atacante Santiago Silva na cara do gol, obrigando Muralha a salvar o Flamengo, aos 18 minutos, a Unversidad Católica não teria assustado a meta rubro-negra na primeira etapa.

Enquanto isso, o Flamengo foi encontrando espaços, com Diego distribuindo o jogo com muita visão de jogo e Guerrero infernizando a zaga local.

Aos 14, após cobrança de escanteio, o goleiro Toselli se enrolou com Santiago Silva e a bola sobrou para Réver, que chutou por cima do gol da Católica.

Aos 23, Vaz cabeceou para trás um arremesso de lateral e a bola foi parar limpa no pé de Arão, mas o volante também isolou por cima do travessão chileno.

Em seguida foi a vez de Guerrero mostrar todo seu repertório.

O atacante peruano cobrou falta com perfeição e obrigou Toselli a voar para pegar, aos 30. Três minutos depois, Guerrero recebeu de Diego e mandou uma bomba de fora da área que pegou na trave e saiu.

- El tanque mata o Fla -Na volta do intervalo, o técnico Mario Salas recompôs sua equipe e a Universidad Católica começou a encontrar espaços atrás da linha de três volantes do Flamengo, principalmente com o veloz Buonanotte.

Em uma dessas escapadas, o argentino lançou Santiago Silva dentro da pequena área rubro-negra. 'El tanque' cruzou, mas Trauco salvou o Fla cortando.

Zé Ricardo não gostou do que viu e resolveu mexer. Berrío entrou no lugar de Rômulo. Um velocista no lugar de um meia marcador para colocar um jogador nas costas do lateral chileno.

O colombiano entrou mostrando sua famosa velocidade. Aos 18, ganhou do marcador e cruzou rasteiro para Guerrero, que chutou travado pelo zaga. No rebote, o próprio Guerrero tocou para Everton, que mandou por cima do gol chileno.

O Flamengo continuou confiante em campo e dono da bola, mas as chances desperdiçadas se acumulavam.

Aos 25, Diego teve a chance da partida, em uma falta na entrada da área do mesmo local em que havia aberto o placar na estreia, contra o San Lorenzo no Maracanã.

Desta vez, a bola foi caprichosamente bater no travessão antes de sair pela linha de fundo.

Como diz o velho ditado popular, "Quem não faz, leva". Aos 29, os chilenos abriram o placar.

Em falta alçada na área, Santiago Silva subiu mais que a zaga e colocou no cantinho do gol de Muralha, que voou, mas não alcançou.

Com a vantagem no placar, Mario Salas armou uma forte retranca e o Flamengo não soube agredir o gol de Toselli.

Aos 38, Berrío, esperança da torcida, acabou se tornando vilão. O colombiano se enroscou com Parot na área e acabou empurrando o chileno. O árbitro viu agressão no lance e expulsou o jogador do Flamengo.

Com um a menos, o Flamengo se tornou preza fácil para a forte marcação chilena, que esperou pacientemente até o apito final para comemorar a vitória sobre o principal favorito da chave.

am

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo