Esporte

Explosões em Dortmund: o esporte diante do desafio da segurança

12/04/2017 14h11

Paris, 12 Abr 2017 (AFP) - As três explosões que atingiram o ônibus do Borussia Dortmund, na terça-feira à noite, foram uma lembrança: as competição esportivas são alvos para eventuais ataques terroristas, obrigando os organizadores a reservar um lugar cada vez mais importante nas tomadas de decisões para os riscos de ameaças.

- O esporte, alvo recorrente -"Num momento em que os eventos esportivos são globalizados e concentram todas as atenções, pode ser tentador para um grupo terrorista cometer um atentado", observou Pascal Boniface, diretor do Instituto de Relações Internacionais e Estratégicas da França (Iris), entrevistado pela AFP.

Todos os esportes estão na mira, em todos os continentes, desde a tomada de reféns de atletas israelenses por um grupo palestino durante os Jogos Olímpicos de Munique-1972 (morreram 11 israelenses, cinco sequestradores, um policial alemão e um piloto de helicóptero).

Em 2008, a 30ª edição do Rally Paris-Dakar foi cancelada devido a ameaças terroristas e 12 pessoas morreram pouco antes da largada de uma maratona no Sri Lanka. Dois anos depois, o ônibus da seleção do Togo foi metralhado em Angola (três mortos), dois dias antes da abertura da Copa Africana de Nações.

Mais recentemente, a maratona de Boston, nos Estados Unidos (três mortos e 264 feridos em 2013) e o Stade de France, nos atentados de 13 de novembro de 2016 (revindicados pelos jihadistas do Estado Islâmico, o EI, que mataram 130 pessoas) também foram alvos. "É uma ameaça existente no conjunto dos eventos esportivos, qualquer que sejam ou em que lugar forem disputados", continuou Pascal Boniface.

- Dispositivos em constante evolução -"Garantir a segurança de qualquer jogo de futebol de alto nível ou de qualquer grande evento internacional está mais complexo do que nunca", analisou por sua vez Andrew Cooke, diretor de operações de segurança no Centro Internacional pela Segurança do Esporte (ICSS), sediado em Doha, no Catar. "Isso pede uma organização e um preparação importante por parte de vários países e autoridades diferentes".

Ex-responsável pela segurança da Asian Cup 2015, Cooke explicou em comunicado enviado à AFP que "é importante que os eventos esportivos de alto nível invistam e continuem tentando atingir os mais altos padrões em termos de segurança".

Os organizadores já estão se adaptando. Após os atentados de Nice, que deixaram 86 mortos e mais de 400 feridos em 14 de julho de 2016, os organizadores do Tour de France insistiram no fechamento das ruas próximas à rota dos ciclistas.

A Euro-2016 na França, após os atentados de janeiro e novembro de 2015 no país, também contou com um aparato de segurança excepcional. "Desde o início, quando começamos a preparar o plano de segurança para a Euro, cogitamos evidentemente um risco de terrorismo, algo que não é novo na França", explicou à AFP Ziad Khoury às vésperas da competição.

Para o próximo grande evento planetário, a Copa do Mundo de 2018, a Rússia mostra confiança: "Os serviços de segurança especiais, as agências da manutenção da ordem estão encarregados de nosso conceito de segurança. Nosso programa de segurança é suficientemente ambicioso", afirmou nesta quarta-feira o vice-Primeiro-ministro russo, Vitali Mutko, que também preside o Comitê Organizador Local do Mundial.

- "O perigo está em todos os lugares" -Apesar de tudo, "os eventos das últimas 24 horas mostraram que é muito difícil para os organizadores de competições garantirem uma segurança a 100% para as equipes, os jogadores e os convidados nos trajetos entre os diferentes locais", lamentou Andrew Cooke.

"Os que querem atacar sempre vão procurar os pontos fracos, atingir onde não há proteção", analisou Boniface, para quem "o perigo está em todos os lugares e a segurança absoluta não existe, nunca existirá".

A segurança na Liga dos Campeões, maior competição de clubes do mundo, já está se precavendo. O acesso ao estádio de Cardiff, no País de Gales, ficará proibido para veículos em 3 de junho, na final da competição, anunciou nesta quarta-feira a polícia britânica.

Até lá, a Uefa, organizadora da Champions, vem reavaliando as medidas de segurança, no intuito de reforçar o aparato "onde for necessário".

mm-jm-yk-af-cda/pgr/am

BORUSSIA DORTMUND

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo