Esporte

Mbappé brilha e Monaco vence Borussia no dia seguinte ao atentado

12/04/2017 16h06

Dortmund, Alemanha, 12 Abr 2017 (AFP) - O Monaco aprontou na visita ao Borussia Dortmund, nesta quarta-feira, ao vencer o jogo de ida das quartas de final da Liga dos Campeões por 3 a 2, garantindo vantagem na eliminatória e quebrando invencibilidade dos alemães em casa no torneio, que perdurava desde maio de 2013.

A partida foi adiada depois do ônibus da equipe alemã ser atingida por três explosões no caminho para o estádio, na terça-feira (11). Alguns vidros do ônibus se estilhaçaram e o espanhol Marc Bartra, de 26 anos, ficou ferido.

O zagueiro foi operado com sucesso e agradeceu as boas energias de torcedores de todo mundo: "Já estou muito melhor, obrigado a todos pelas mensagens de apoio. Toda força para meus companheiros e torcedores para o jogo desta noite".

Mas dentro de campo, o que se via eram dois times muito jovens e ofensivos, com média de idade na casa dos 25 anos e preparados para superar o caso com muitos gols e jogadas rápidas. O Monaco é o time europeu que mais balançou as redes nesta temporada, com 136 gols em 52 jogos.

No duelo entre os franceses Ousmane Dembélé e Kylian Mbappé, de 19 e 18 anos respectivamente, os dois não sentiram a pressão, chamaram a responsabilidade e marcaram. Os jovens são observados pelos gigantes da Europa e são o futuro da seleção francesa.

- Cordialidade -Antes do jogo, os torcedores das duas equipes viveram momentos de cordialidade. O goleiro Burki entrou em campo para se aquecer com a camisa de Bartra, enquanto o Dortmund lançou uma campanha na internet para torcedores do Borussia hospedarem franceses até o início do jogo.

Feitas as homenagens, a bola rolou e o Borussia parecia ter motivação extra. Os atletas queriam jogar por Bartra, que foi substituído por Bender. Mas quem chegou com perigo foram os visitantes, depois de dez primeiros minutos equilibrados.

Aos 15 minutos do primeiro tempo, os visitantes chegaram com perigo, com Mbappé acelerando a jogada nas costas do grego Sokrátis Papastathopoulos. O zagueiro puxou o jovem atacante e o juiz aponto para a marca da cal.

O brasileiro Fabinho, especialista em cobranças de pênalti, foi para a bola e bateu no canto esquerdo do goleiro. Burki interpretou bem o movimento do volante, que tentou buscar o pé da trave mas acabou mandando pra fora. Foi o primeiro pênalti perdido pelo meia na temporada.

Mas o erro não assustou os franceses, que partiram pra cima nas duas jogadas seguintes. Aos 19 minutos, num contra-ataque em velocidade, o português Bernardo Silva iniciou a jogada do Monaco e abriu para o italiano Andrea Raggi na esquerda. O lateral cruzou para Mbappé, em posição irregular, empurrar para as redes. O trio de arbitragem não viu e validou o gol.

O Borussia sentiu o golpe e só conseguiu começar a se recuperar aos 30 minutos, quando Ginter fez bela jogada pela direita e deixou Raggi comendo poeira. O lateral cruzou para o japonês Shinji Kagawa, que estava livre na pequena área, mas pegou mal na bola e mandou para fora.

Quando o Borussia parecia melhorar em campo, o substituto Bender sabotou a reação alemã e mandou para as próprias redes, aos 35 minutos. Em nova jogada pela esquerda, Raggi cruzou para dentro da área e o zagueiro mergulhou para cortar para trás. Escolha ruim que penalizou o Borussia.

- Despertar alemão -No segundo tempo, o técnico Thomas Tuchel mexeu duas peças da equipe para colocar o Borussia para frente e tentar reverter a desvantagem: Nuri Sarin e Christian Pusilic entraram nos lugares de Bender e Schmelzer, respectivamente.

O norte-americano entrou colocando fogo no jogo pelo lado direito do campo. Nos 10 primeiro minutos, os anfitriões pressionaram muito e todas jogadas saíam dos pés do camisa 22. A tribuna sul do Westfalenstadion, onde fica a torcida organizada do Borussia, acordou junto com a equipe, mas a bola teimava em não entrar.

Aos 12 minutos, a pressão foi recompensada e o gol saiu dos pés de outra pérola francesa: Dembelé. O camisa 7 completou jogada confusa dos alemães, que teve passe acrobático de calcanhar de Aubameyang e Kagawa limpando o goleiro, antes da bola chegar nos pés do jovem atacante, livre na pequena área.

A pressão continuou e o Monaco já não conseguia manter a posse de bola. Os alemães só pecavam na decisão das jogadas, como em outro chute de Dembelé, aos 26 minutos, que explodiu na zaga e saiu pela linha de fundo. O segundo gol era questão de tempo.

Mas o Monaco não estava dormindo e esperava a chance de definir o jogo em algum erro dos anfitriões. Aos 30 minutos, o colombiano Radamel Falcao, sumido em campo, apareceu com perigo pela primeira vez no jogo, driblou o goleiro e mandou para fora. Susto para os alemães.

Na jogada seguinte, Mbappé recebeu um presente da zaga, que errou na saída de bola. O atacante ficou livre, cara a cara com Burki, e deu um tapa no ângulo, aos 34 minutos. Balde de água fria na pressão do Borussia.

Empurrados pela apaixonada torcida, os alemães não desistiram e conseguiram diminuir o prejuízo aos 39 minutos, com Kagawa. O meia recebeu cruzamento na área, limpou o brasileiro Jemerson, que ficou estirado no chão, e bateu com classe no canto.

O jogo de volta vai ser disputado na quarta-feira, dia 19 de abril, em Monaco. Para se classificar, o Borussia Dortmund precisa vencer por 2 a 0

cpb-eba-pgr/dr/fa

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo