Topo

Esporte

Com dois expulsos, Chape perde para Nacional e se complica na Libertadores

27/04/2017 21h58

Montevidéu, 28 Abr 2017 (AFP) - A Chapecoense foi duramente derrotada por 3 a 0 pelo Nacional em Montevidéu, nesta quinta-feira pelo Grupo 7 da Copa Libertadores, e complicou suas chances de classificação às oitavas de final da competição.

A equipe catarinense, que teve dois jogadores expulsos, se viu dominada por um time uruguaio agressivo na marcação e que abriu o placar logo aos 16 minutos de jogo com Kevin Ramirez. No segundo tempo, o Nacional ampliou aos 4 minutos com Rodrigo Aguirre, de cabeça, e fechou a conta com um belo chute de Viúdez aos 35.

Com este resultado, a Chapecoense complicou sua situação no Grupo 7, aparecendo na 3ª colocação com 4 pontos, três a menos que o líder, o argentino Lanús, e que o próprio Nacional (2º). O 4º colocado é o Zulia, da Venezuela (4 pts).

A Chape se vê agora na obrigação de vencer na próxima rodada o Lanús na Argentina, no dia 17 de maio, se quiser manter uma esperança de avançar às oitavas de final. Um dia antes, o Nacional visita o Zulia.

Na 3ª rodada, em 18 de abril, quando empatou em 1 a 1 na Arena Condá, o Nacional já havia mostrado para a Chapecoense que seria um adversário muito complicado apoiado por sua fiel e fanática torcida. Foi o que aconteceu.

Os uruguaios entraram em campo apostando na marcação alta, para dificultar a saída de bola da Chape e foram beneficiados por uma atuação abaixo do esperado da equipe catarinense.

No primeiro tempo, o atacante uruguaio Hugo Silveira foi um verdadeiro pesadelo para a defesa da Chape, com sua velocidade e dribles.

Muito acionado pelo ponta direita, o atacante criou as melhores chances do Nacional na partida e foi responsável pela jogada que terminou na abertura do placar.

Aos 16 minutos, Silveira ganhou no corpo de Nathan, fintou Grolli e chutou, mas o zagueiro conseguiu travar. A bola atravessou toda a área catarinense e foi parar no pé de Ramirez, que só empurrou para o gol.

Acostumada a jogar no contra-ataque, a Chape não encontrava seu jogo, com Luiz Antonio muito bem marcado no meio, e sequer assustou o gol uruguaio na primeira etapa.

- Olé e 'dedada' -Na volta do intervalo, a conversa do técnico Vagner Mancini não teve tempo de surtir efeito e, com 4 minutos, a Chape já perdia por 2 a 0.

No lance, uma falta alçada na área, Aguirre se livrou da marcação e apareceu livre para dar uma casquinha na bola e tirar do goleiro Artur.

Logo em seguida, qualquer chance de reação da Chape foi por água abaixo com a expulsão boba de Luiz Otávio, que atingiu Aguirre ao esticar o pé em disputa de bola e recebeu o cartão vermelho.

Com um a menos, a Chape até se mostrou mai corajosa, como se não tivesse mais nada a perder, mas sofria com os rápidos contra-ataques do Nacional. Num deles, os uruguaios selaram sua vitória.

Aos 35, Viúdez recebeu na entrada da área, fintou a marcação e acertou um chute que foi parar no ângulo de Artur, para delírio da torcida que lotou o estádio Parque Central.

Logo em seguida, com a torcida local gritando "Olé!" a cada troca de passe do Nacional, Rossi perdeu a compostura e foi expulso por dar uma 'dedada' em Espino, na frente do assistente, fechando de maneira triste uma péssima noite de futebol da Chape.

am

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte