Esporte

Monaco aposta em atuação heroica para eliminar Juventus na Champions

08/05/2017 14h46

Turim, Itália, 8 Mai 2017 (AFP) - A Juventus nunca perdeu um mata-mata contra uma equipe francesa, concede poucos gols (dois na competição) e não é derrotada em seu estádio há 20 meses: só um verdadeiro milagre e uma atuação heroica nesta terça-feira pode conduzir o Monaco à final da Champions.

"Somos obrigados a acreditar, há um jogo de volta", afirmou o atacante monegasco Valere Germain, que perdeu um gol no último minuto na partida de ida (2-0 par a Juve) que poderia ter aumentando consideravelmente as chances de classificação de sua equipe.

Contudo, a manifesta superioridade da Velha Senhora, tanto nos aspectos ofensivo como defensivo, no jogo de ida e a maior experiência do time de Turim enfraquecem as esperanças de classificação monegascas.

Em quanto às estatísticas, a Juve se classificou nas 11 vezes em que teve um clube francês pela frente na Champions.

O próprio Monaco foi vítima do clube de Turim duas vezes na Liga dos Campeões, nas semifinais (4-1, 2-3) em 1998 e nas quartas de final (1-0, 0-0) há dois anos.

A equipe de Massimilano Allegri, além de tudo, se mostrou tremendamente sólida na defesa, sofrendo apenas dois gols ao longo da fase de grupos e nenhum desde que começou o mata-mata. Nem sequer o poderoso trio MSN do Barcelona foi capaz de furar o paredão encabeçado pelo goleiro Gianluigi Buffon em 180 minutos de eliminatória.

No ataque, a Juve poderá contar novamente com sua dupla argentina, Paulo Dybala e Gonzalo Higuaín, que vivem grande fase. Se Dybala foi decisivo contra o Barça (dois gols em Turim), Higuaín assumiu a responsabilidade na partida de ida contra o Monaco (também balançou as redes duas vezes), há uma semana.

- Higuaín vs Falcao -Higuaín, criticado frequentemente por seus retrospecto ruim em jogos importantes, provou assim ser um dos melhores atacantes na Europa, algo que voltou a mostrar no sábado, marcando nos acréscimos o gol de empante contra o Torino, arquirrival da Juventus.

"Sabemos que cada bola que chega a Higuaín é meio gol", elogiou no sábado o lateral brasileiro Alex Sandro, falando do atacante pelo qual a Juve pagou 90 milhões de euros ao Napoli antes da temporada.

No Monaco, a dupla de ataque, formada pelo colombiano Radamel Falcao e o francês Kylian Mbappé, terá apenas 90 minutos para protagonizar uma virada em Turim.

Mas Falcao, carinhosamente apelidado de 'Tigre', voltou a rugir neste anos após duas temporadas na Inglaterra (Chelsea e Manchester United) em que não teve êxito, ao não estar completamente recuperado da grave lesão no joelho, o que lhe custou uma vaga na seleção colombiana que disputou a Copa do Mundo-2014.

Com 28 gols nesta temporada (39 jogos), Falcao quer voltar a ser protagonista na Europa, como já foi no Porto e no Atlético de Madrid. Ao seu lado, terá Mbappé, o moleque que é a sensação do momento no Velho Continente.

- Buffon quer a Copa -Contudo, a defesa da Juve, simbolizada pelos pilares Giorgio Chiellini e Leonardo Bonucci, vivem temporada dos sonhos. Atrás deles, o goleiro e capitão Buffon, 39 anos, chega à partida de volta com muita vontade de conquistar o único troféu que lhe falta em seu currículo vencedor.

A Juventus foi derrotada pela última vez em seu estadio no dia 23 de agosto de 2015 (1-0 contra a Udinese) e está a um passo de selar a conquistar do hexacampeonato italiano, isso de forma consecutiva, o que seria um recorde.

A Juve havia vencido 33 jogos seguidos em casa na Serie A, uma marca encerrado no último sábado com o empate contra o Torino. Um empate que de pouco servirá ao Monaco.

O técnico Massimiliano Allegri poderá contar com a volta do alemão Sami Khedira, suspenso na ida. E certamente escalará novamente três zagueiros, fórmula que deu muito certo no primeiro jogo contra o Monaco.

Na Champions, a última derrota da Juve em casa com em 10 de abril de 2013 contra o Bayern de Munique (2-0), que acabou se tornando campeão da competição continental.

- Um gol rápido -Na partida de ida, "aprendemos uma lição de profissionalismo", analisou Germain. "Quando você vê (o croata Mario) Mandzukic, com seu currículo, correr assim, como meia esquerda... Quando você vê como gritam nas cobranças de falta para o bem do time. Esse jogo foi uma aula", continuou.

"Será muito difícil, temos poucas chances de avançar. Mas nunca se sabe", insistiu Germain. "Se marcamos rapidamente e os fatores do jogo nos forem favoráveis, como uma expulsão...".

O técnico português Leonardo Jardim também passar certo otimismo, garantindo que a vitória por 3 a 0 fora de casa contra o Nancy, que deixou o Monaco muito próximo do título da Ligue 1, é possível.

-Prováveis escalações:

Juventus: Buffon - Barzagli, Chiellini, Bonucci - Alves, Khedira, Pjanic, Sandro - MAndzukic, Dybala, Higuaín. T: Massimiliano Allegri.

Monaco: Subasic - Sidibe, Glik, Jemerson, Mendy - Bakayoko, Fabinho, Silva, Lemar - Falcao, Mbappé. T: Leonardo Jardim (POR)

Árbitro: Björn Kuipers (HOL)

cb-stt-eba/rsc/am

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo