Esporte

Red Bull aposta em nova aerodinâmica para voltar ao pódio na Espanha

11/05/2017 14h56

Montmeló, Espanha, 11 Mai 2017 (AFP) - Distante de Ferrari e Mercedes depois das primeiras quatro corridas, por conta de problemas de motor e chassi, a Red Bull aposta em recuperar o tempo perdido graças à nova aerodinâmica no Grande Prêmio da Espanha de Fórmula 1, disputado a partir desta sexta-feira.

"Isso vai determinar provavelmente nossa capacidade para estar no pódio nas próximas corridas", indicou o piloto australiano Daniel Ricciardo.

No simulador, os dados sobre a dinâmica dos fluxos aerodinâmicos são melhores após as mudanças, como observa a Red Bull, terceira colocada no ano passado. A escuderia reitera que "não saberemos se vamos ter confiança até o momento de colocar o carro na pista".

O GP da Espanha, desde 1993 no circuito, é crucial para a equipe.

No ano passado, o holandês Max Verstappen estreou e desde então se transformou no mais jovem a vencer uma corrida de F1 na história, com 18 anos, 7 meses e 15 dias.

Muitos especialistas viam o vice campeão do torneio e construtores de 2016, que conta com o talento do engenheiro Adrien Newey, como o principal beneficiado das mudanças no regulamento realizadas na pré-temporada.

Mas em 2017, a escuderia de Milton Keynes só subiu ao pódio uma vez, na China, graças a Verstappen, apesar de ter a dupla de pilotos considerada a mais completa do gride.

- Renault bode expiatório -A Red Bull parece incapaz de competir com Mercedes e Ferrari, com quem briga no orçamento de mais de 300 milhões de euros por ano, equipe de aproximadamente 900 pessoas e de altos lucros comerciais, distantes de outros times.

Os dirigentes, que ameaçam com frequência abandonar a competição, têm a escuderia Toro Rosso no circuito e colocaram a equipe Renault como bode expiatório.

As melhoras do bloco propulsor, inicialmente esperadas em Montreal a princípio de junho, poderia atrasar em vários GPs.

Mas o chassi não está isento de reprovações, como reconheceu Helmut Marko, conselheiro especial da escuderia.

"As novidades em Barcelona deveriam permitir a gente reencontrar a vitória em médio prazo", confiou Marko.

- Pneus duros demais? -Para outro australiano, o ex-piloto da escuderia entre 2007 e 2013 Mark Webber, "nunca se pode descartar a Red Bull, apesar de ter grandes desafio por diante".

A volta para a Catalunha vai ser a melhor ocasião para avaliar em qual medida o RB13 melhorou desde os testes de inverno.

"Trata-se de uma pista que mostra os pontos fortes e fracos, porque não tem nenhum lugar para se esconder. Aqui, tudo é questão de rendimento aerodinâmico e confiança", afirmou o francês Estaban Ocon, piloto da Force India.

Para Ricciardo, que conseguiu quatro vitórias na carreira, a escolha feita pela Pirelli o deixa inquieto: "os pneus já são bem duros, então os mais duros já são demais. Esperamos que faça calor e que esses pneus funcionem, mas se fizer frio vai ser difícil para todo mundo".

Um comportamento ruim da fornecedora de pneus Pirelli poderia criar diferenças nas grandes retas dos boxes.

Após um GP da Rússia com poucas ultrapassagens, os espectadores que vão para Montmeló esperam que a corrida seja diferente.

smr/cd/rsc/pm/fa

FERRARI NV

RENAULT

PIRELLI & C. SPA

Mercedes

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo