Esporte

Confira balanço da Copa das Confederações 2017

03/07/2017 19h24

São Petersburgo, 3 Jul 2017 (AFP) - Além do título inédito da Alemanha, conquistado um time sem as usuais estrelas, a Copa das Confederações ficou marcada pelo terremoto informativo por conta de Cristiano Ronaldo e da vídeo-arbitragem.

- Em alta -. Aposta de LöwJoachim Löw colocou em cena um time B com apenas três campeões mundiais em 2014 (Ginter, Mustafi, Draxler) e média de idade de 24 anos e quatro meses. O objetivo era dar descanso aos titulares e fazer um laboratório com os jovens.

A aposta saiu melhor que a encomenda e o treinador voltou da Rússia com o troféu debaixo do braço.

A Mannschaft conquistou sua primeira Copa das Confederações e Löw saiu reforçado.

"A Alemanha segue com o melhor time do mundo. O fato de ter sido um time jovem é algo histórico e único para o país", parabenizou o técnico.

. Revelações alemãsDraxler venceu a Bola de Ouro da competição, além de ser o capitão do time durante a competição.

Werner, Goretzka e Stindl terminaram como artilheiros da competição, com três gols cada. Werner recebeu a Chuteira de Ouro do ex-atacante brasileiro Ronaldo por conta das duas assistência, critério de desempate.

Goretzka aproveitou a polivalência tanto para roubar a bola quanto para distribuir o jogo. Stindl fez o gol do título, apesar de ser convocado de maneira tardia, com 28 anos.

. Bravo ChileChile dominou a final e propôs o jogo mais vistoso da competição. "Mostramos um coração muito grande para defender nossa proposta. Estamos orgulhosos de que o povo chileno possa desfrutar disso e queremos continuar fazendo história. Estamos muito felizes e com esperança do que vai vir", comentou o treinador Pizzi.

Atual bicampeão da Copa América, o Chile se destacou com dois jogadores: o goleiro Claudio Bravo, eleito Luva de Ouro por eliminar Portugal nos pênaltis, além de grandes defesas na competição, e Arturo Vidal, motor do meio campo.

- Dúvidas -. CR7 ainda famintoA primeira fase do craque foi correta, com dois gols e uma assistência decisivas nas partidas, apesar do furacão judicial e pelo desejo de deixar o Real Madrid ter se tornado público. O quatro vezes vencedor da Bola de Ouro não brilhou nas semifinais, nem participou da partida pelo terceiro lugar, devido o nascimento dos filhos gêmeos Eva e Mateo.

. Vídeo-arbitragem polêmico"Os grandes erros foram evitados", indicou o presidente da Fifa Gianni Infantino, ao fazer balanço positivo do uso do VAR.

"O VAR foi um grande sucesso. Foram seis mudanças de decisão que o VAR corrigiu os erros dos árbitros. Sem o VAR teríamos tido um torneio diferente, menos justo dentro de campo. Os grandes erros foram evitados", indicou Infantino, em coletiva de imprensa em São Petersburgo.

- Em baixa -. Rússia não se afirmaA anfitriã só conseguiu superar a frágil seleção da Nova Zelândia (2-0) e perdeu contra seleções mais poderosas como Portugal (1-) e México (2-1). O desempenho levanta dúvidas sobre como o time vai reagir no ano que vem, na Copa do Mundo.

. Osorio, alterações demais?O colombiano Juan Carlos Osorio queria dar o salto de qualidade no time, mas saiu quase todas as vezes atrás do placar. Contra a Alemanha, foi humilhada por 4 a 1. As muitas alterações no time foram alvo de críticas no México.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Esporte

Topo