Esporte

Gustavo Hebling, o misterioso brasileiro do PSG de futuro incerto

03/07/2017 13h53

Paris, 3 Jul 2017 (AFP) - Ele se declara "jogador do Paris Saint-Germain" no Instagram e posa ao lado de Marquinhos no Facebook, mas onde jogará o brasileiro Gustavo Hebling, cedido ao futebol holandês desde que chegou ao PSG em 2015? A reposta é uma incógnita no clube parisiense, que voltará na terça-feira aos treinos.

Os casos de Hatem Ben Arfa ou de Grzegorz Krychowiak, de futuros incertos, são de conhecimento do grande público. Mas não é esse o caso de Hebling. O meia de 21 anos não aparece no site oficial do PSG, nem na equipe principal nem na lista de jogadores emprestados. Não há informação oficial sobre sua situação.

Somente no PEC Zwolle, clube da primeira divisão holandesa em que joga há duas temporadas, foi possível encontrar qualquer menção sobre o vínculo do brasileiro com o PSG. "O PEC Zwolle se reforça com a chegada de Gustavo Hebling", escreveu o modesto clube holandês... em 28 de agosto de 2015. "O meia se comprometeu com o Paris Saint-Germain por cinco temporadas e o empréstimo é para duas temporadas".

- Três años de contrato pela frente -O jogador, que deixou o São Paulo ao fim de seu contrato em 2015, assinou vínculo de cinco anos com o PSG, confirmou à AFP uma fonte próxima ao caso, explicando que o empréstimo ao Zwolle terminava em 30 de junho.

O PSG enviou "em quatro ocasiões" representantes para supervisionar Gustavo, declarou à AFP Gerard Nijkamp, diretor técnico do Zwolle. "No segundo menos, porque ele jogou pouco, mas no primeiro ano jogou mais".

O brasileiro foi apresentado pelo ex-técnico nas categorias de base do São Paulo, Clementino 'Menta' Fonseca, como um jogador "dotado de uma ótima técnica" e de "ótima visão de jogo", mas "bastante tímido e que não é de chamar a atenção".

"Ele se acostumou a jogar mais recuado, mas poderia jogar muito bem como meia ofensivo", afirmou o técnico à AFP.

No Zwolle, o jogador "não rendeu o que os torcedores esperavam", explicou um dos torcedores à AFP. "As expectativas eram muito altas, mas ele não cumpriu".

- "Boa mentalidade" -"Gustavo sofreu uma lesão no fim ada primeira temporada na Holanda, o que complicou sua pré-temporada seguinte e dificultou sua volta à equipe", explicou Nijkamp. "Ficou no banco, era difícil ter minutos em campo". O jogador, porém, "sempre mostrou uma boa ética de trabalho e uma nova mentalidade". "Ele só teve um pouco de azar e os outros jogadores em sua posição foram melhores", completou Nijkamp, que revelou que Gustavo tentou voltar ao brasil em janeiro, diante da pouca oportunidade de jogar na Holanda.

A volta acabou não dando certa e Gustavo permaneceu no Zwolle até meados de maio. Voltou ao Brasil de férias em junho.

Para Nijkamp, Gustavo acredita que o próximo passo em sua carreira é retornar ao PSG e garante que "não voltará ao Zwolle".

Já o empresário do jogador, o influente Mino Raiola, afirmou à AFP que "não tem nada a dizer a respeito".

No PSG, o novo diretor esportivo do clube, Antero Henrique, não conta com o meia brasileiro.

Uma fonte próxima ao PSG aumentou as incertezas em relação ao futuro do jogador: "Não é esperado para a volta dos treinos da equipe".

lg-cda/am

FACEBOOK

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Esporte

Topo