Esporte

Paris 2024 e Los Angeles 2028: COI é o grande vencedor

31/07/2017 16h47

Lausana, Suíça, 31 Jul 2017 (AFP) - Perseguida há meses pelo presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, a dupla nomeação dos Jogos Olímpicos, em Paris 2024 e Los Angeles 2028, é sobretudo uma vitória do COI.

Na frente do organismo desde 2013, Bach resolveu combater a escassez de cidades candidatas com um pacote de medidas publicadas em dezembro de 2014, sob o nome de "Agenda 2020". O objetivo era, principalmente, reduzir os custos de organização dos Jogos.

A proposta acabou não funcionando e três das candidatas para organizar a edição de 2024 foram renunciando uma a uma: Hamburgo, Roma e Budapeste. A negativa da população para o evento foi o principal motivo destas cidades. Boston, substituída por Los Angeles, também jogou a toalha.

Para evitar que as duas últimas cidades que estavam na fase final do processo não desistissem, Bach propôs que Paris e Los Angeles dividissem os eventos de 2024 e 2028 entre si.

- Transformar crise em oportunidade -"Com suas reformas, Bach conseguiu transformar uma crise em oportunidade", analisou o acadêmico Jean-Loup Chappelet, especialista do movimento olímpico.

"A estratégia coincide com as de Emmanuel Macron (presidente da França), Anne Hidalgo (prefeita de Paris) e Eric Garcetti, prefeito de Los Angeles que quer ser presidente dos Estados Unidos", acrescentou Chappelet.

Bach tem mandato até 2021, mas pode ser reeleito. A sua política pensou no futuro do olimpismo e de sua carreira pessoal.

"Bach trabalha a longo prazo e muitas cidades vão se candidatar para 2032 pensando que, se Paris e Los Angeles conseguiram a dupla nomeação, elas também podem", avaliou Chappelet.

O COI, em sua época de bonança, viu as receitas chegarem aos 5,7 bilhões de dólares no período entre 2013 e 2016, valor 7,6% maior que no quadriênio anterior, 2009-2012.

Os valores eram em maioria direitos de transmissão, que englobam mais de 70% do total, enquanto o restante vem de direitos de marketing.

- EUA salvou COI em 1984 -Mas apesar de McDonald's ter renunciado o acordo com os Jogos, sendo substituído pela Intel, a maioria dos patrocinadores olímpicos continuam americanos (General Electric, Coca Cola, Procter & Gamble, Dow Chemical e NBC). Isso favoreceria a candidatura de Los Angeles.

"Bach está consciente dos problemas do organismo que preside", explicou à AFP Patrick Nally, especialista em marketing esportivo e precursor do "Programa de Patrocinadores Olímpicos" (TOP).

"É preciso lembrar que nos Jogos de 1984, em Los Angeles, os Estados Unidos salvaram o COI. Graças, sobretudo, aos acordos com a Coca Cola e com a NBC, o país se transformou em um mercado muito importante", indicou.

"Paris é uma grande candidata, mas do ponto de vista comercial não é tão importante como a cidade californiana para o futuro do COI", acrescentou Nally, que garante que "Bach sabe perfeitamente que não pode mais contrariar o mercado do qual o COI mais depende".

A falta de candidaturas também afetou os Jogos de Inverno. A edição de 2018 foi atribuída para Pyeongchang, na Coreia do Sul, que se impôs a Munique e Annecy. Para 2022, o COI só recebeu duas candidaturas, a vencedora Pequim e Almaty, no Cazaquistão.

O cenário já mudou para os Jogos de Inverno de 2026, onde várias cidades se candidataram, entre elas Suin, na Suíça, e Innsbruck, na Áustria. A cidade canadense de Calgary, que recebeu a competição em 1988, ainda é dúvida por conta da situação financeira.

"Trata-se de não perder as cidades candidatas e de convencer suas populações, sobretudo fora da Ásia. Já se fala de uma dupla atribuição para 2026 e 2030, mas é pouco provável", garantiu Chappelet.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo