Esporte

Empresário de Gatlin denuncia tratamento "desumano" da Iaaf

08/08/2017 11h51

Londres, 8 Ago 2017 (AFP) - O empresário do polêmico americano Justin Gatlin, campeão mundial dos 100 metros, denunciou na segunda-feira o tratamento "desumano" e "antiesportivo" por parte da Federação Internacional de Atletismo (Iaaf) e de seu presidente, Sebastian Coe, contra seu cliente.

Coe, que milita pelo banimento à vida de atletas reincidentes, declarou no domingo à emissora BBC que o triunfo de Gatlin, pego no doping duas vezes na carreira e suspenso por quatro anos entre 2006 e 2010, não era o "cenário ideal" para o esporte.

"Estou indignado", reagiu Ronaldo Nehemiah, empresário de Gatlin e ex-recordista mundial dos 110 metros com barreiras. "Não faço apologia ao doping, mas Justin Gatlin cumpriu sua pena, ele respeita as regras e a Iaaf o reintegrou. Isso de contar uma história na qual ele é o vilão não é justo. É desumano e antiesportivo".

"Lord Coe é membro da Iaaf que estabeleceu as regras e as punições. Quando você cumpre sua pena, você deveria ser reintegrado. Se eles não querem, então precisam mudar as regras", completou.

pi-kn/am

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo