Topo

Tênis

Tenista diz que aceitaria exclusão de Grand Slam após insultar árbitra

AP Photo/Michael Noble
Fabio Fognini foi suspenso do US Open após xingar árbitra de "p..." Imagem: AP Photo/Michael Noble

06/09/2017 11h24

O italiano Fabio Fognini, expulso do US Open no sábado (2) após insultar árbitra, declarou nesta quarta-feira (6) que entenderia se fosse excluído do Aberto da Austrália, que será disputado entre os dias 15 e 28 de janeiro de 2018.

"Se os responsáveis dos Grand Slams têm me proibir de participar do próximo Aberto da Austrália, aceitarei as consequências. Nossos atos tem consequências e devo pagar pelo que fiz", declarou o 26º tenista do ranking ATP, em entrevista ao canal de televisão "Sky".

"Estou consciente da gravidade do meu erro e assumo a responsabilidade. Uma decisão vai ser tomada. Mas avanço que passarei a página com esta mancha que não vai limpar nunca", acrescentou o italiano de 30 anos, famoso por seu temperamento dentro da quadra.

Fognini atacou a árbitra com uma série de insultos durante derrota para o compatriota Stefano Travaglia, na primeira fase do Slam americano. Expulso da competição, ainda recebeu multa de 24 mil dólares (R$ 74,9 mil) pelo incidente.

Em 2014, o italiano já precisou pagar 23 mil euros (R$ 85,4 mil, na cotação atual) por comportamento parecido em Wimbledon.

"Não vai haver outra vez. Sei o que digo, não farei mais. É pelo meu caráter. Trabalho com um preparador mental e acho que estou no caminho certo, mas não posso explicar esse erro. Não tenho nada contra as mulheres. Disseram que sou machista e não sou. Sempre respeitei as mulheres", concluiu Fognini.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!