Esporte

"Não tem mais desculpas", diz Thomas Müller sobre Bayern de Munique

KAI PFAFFENBACH / REUTERS
Imagem: KAI PFAFFENBACH / REUTERS

12/10/2017 12h02

O Bayern de Munique "já não tem mais desculpas", declarou à AFP o capitão Thomas Müller depois da troca no comando da equipe, que passou a ser treinada por Jupp Heynckes no lugar do italiano Carlo Ancelotti.

"Uma mudança de treinador permite sempre liberar energia. Acho que nós jogadores devemos dar muito mais de nós agora. Não temos mais desculpas", declarou Müller em entrevista exclusiva à AFP na quarta-feira, no momento da entrega de carros da patrocinadora Audi aos jogadores.

"Jupp Heynckes tem uma aura vencedora. Desde segunda-feira, espalhou muita energia com sua comissão técnica", garantiu o atacante alemão sobre o técnico de 72 anos, que deixou a aposentadoria para voltar ao Bayern, quatro anos depois de conquistar a tríplice coroa.

Em 2013, o clube bávaro conquistou a Bundesliga, a Copa da Alemanha e a Liga dos Campeões na mesma temporada.

Na temporada atual, o Bayern está na segunda colocação do alemão a cinco pontos do líder Borussia Dotmund. A derrota por 3 a 0 contra o Paris Saint-Germain, na Liga dos Campeões, levantou dúvidas se o time vai estar capacitado para competir em alto nível em torneios europeus.

Perguntado sobre o que precisava mudar para quebrar a dinâmica negativa, Müller respondeu entre risos: "o que precisa mudar são os resultados. O resto a gente vai discutir internamente, não se pode falar de qualquer jeito com a imprensa".

-'Falta de concentração'-Segundo a imprensa alemã, as estrelas do Bayern achavam Ancelotti um treinador frouxou, que aplicava práticas ineficientes. A mensagem foi entendida por Heynckes, que poucos dias depois de chegar começou um programa de preparação física.

"Até agora treinamos bem", afirmou Müller. "Tivemos duas sessões intensivas e aproveitamos muito", acrescentou. Um reconhecimento implícito de que o prazer havia desaparecido com Ancelotti.

"Existem algumas coisas que não aconteceram ao 100%", acrescentou o atacante, explicando o mau início de temporada. "Nos dois últimos jogos da Bundesliga, abrimos 2 a 0 e acabamos cedendo o empate. Existem erros individuais, talvez por falta de concentração. Em todo caso, agora precisamos ter mais rigor coletivo", reconheceu.

Capitão do Bayern de maneira interina, por conta da lesão do goleiro Manuel Neuer, Müller não era titular indiscutível com Ancelotti.

Classificado com a Alemanha para a Copa do Mundo de 2018, o atual campeão do afirma que não teme a concorrência da nova geração. Jovens jogadores brigam com força para estarem entre os 23 convocados de Joachim Löw para o Mundial da Rússia.

"Diria que somos uma boa mistura, porque os jovens estimulam os veteranos. Temos muitos jogadores com qualidade, mas também temos uma concepção uniforme do jogo e todos atletas se integram bem", concluiu.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo