Topo

Esporte

Justin Gatlin demite técnico acusado de doping

19/12/2017 13h24

Londres, 19 dez 2017 (AFP) - Polêmico campeão mundial dos 100 metros, o americano Justin Gatlin, suspenso duas vezes na carreira por doping, demitiu nesta terça-feira seu técnico, que foi flagrado oferecendo produtos dopantes para jornalistas do Daily Telegraph.

"Estou afetado e surpreso de ficar sabendo que meu treinador pode estar relacionado (com essas acusações). O demiti assim que fiquei sabendo disso", garantiu Gatlin em sua conta do Instagram.

O Daily Telegraph afirma em sua edição que Dennis Mitchell e o agente Robert Wagner ofereceram aos jornalistas receitas médicas faltas, com o objetivo de conseguir produtos dopantes e levá-los ilegalmente aos Estados Unidos.

Segundo o jornal britânico, os dois homens ofereceram testosterona e hormônios de crescimento para um jornalista, em troca de 250.000 dólares. O repórter se passou por um ator de um filme em que teria que encarnar um atleta.

"Essas acusações são muito sérias e atacam em cheio a integridade do atletismo", comentou em comunicado Brett Clothier, direto da Unidade de Integridade no Atletismo (AIU), órgão dependente da Federação Internacional de Atletismo (IAAF).

"A AIU vai investigar este caso em cooperação com a Agência Antidopagem dos Estados Unidos (USADA), e esperamos que o Daily Telegraph nos auxilie nesta tarefa oferecendo informações", acrescentou.

- Rápida reação de Gatlin -"Segundo as regras da IAAF, todo entorno logístico dos atletas, os representantes, os treinadores estão submetidos aos códigos antidopagem e de conduta da IAAF. A AIU tem competência para investigar e o tribunal de disciplina tem poder para punir os que sejam os culpados", acrescentou.

Justin Gatlin se vê relacionado com mais um caso constrangedor, depois de ter sido suspenso por um ano, em 2001, e quatro anos, em 2006, por doping.

"Todas as opções legais estão abertas, para que ninguém se permita mentir assim sobre mim. Em breve terão notícias do meu advogado", explicou o velocista.

"Essas acusações são extremamente graves e sei que a AIU vai investigar", reagiu o presidente da IAAF, Sebastian Coe, segundo indicou o Daily Telegraph.

Perguntado pelo jornal inglês, o histórico agente de Gatlin, Renaldo Nehemiah, explicou que Wagner só teria representado Gatlin duas ou três vezes em sua careira.

O Daily Telegraph garantiu que a IAAF e USADA abriram investigação sobre o caso.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte