Topo

Esporte

NBA elimina menção à Palestina como "território ocupado" após queixa de Israel

29/12/2017 18h21

Jerusalém, 29 dez 2017 (AFP) - A NBA, liga profissional de basquete dos Estados Unidos, retirou a pedido de Israel a menção "Palestina-território ocupado" de sua lista de países em que os torcedores foram convidados a votar nos melhores jogadores para o jogo das estrelas, o All-Star Game de 2018.

A ministra israelense de Cultura e Esportes, Miri Regev, em carta enviada à direção da NBA, solicitou a retirada "imediata" da menção, que constituiria uma "interferência evidente e flagrante", assim como um ato que "legitima a divisão do Estado de Israel".

Regev destacou o contraste com "a posição oficial do governo americano e das declarações do presidente Donald Trump, que acaba de reconhecer Jerusalém como capital da Israel".

"Não estamos na origem desta lista que aparece no site e no momento em que fomos informados, o site foi atualizado", explicou à AFP um porta-voz da NBA, Mike Bass, que pediu desculpas pelo ocorrido.

No site em inglês, é possível ver agora uma menção "Territórios Palestinos" no lugar de "Palestina-território ocupado".

A cada ano, os fãs de NBA do mundo inteiro podem escolher seus jogadores favoritos para disputar o All-Star Game, que acontecerá em fevereiro em Los Angeles nesta temporada.

Donald Trump anunciou um início de dezembro sua decisão de reconhecer toda Jerusalém como capital de Israel, provocando a ira dos palestinos e uma onda de críticas pelo mundo.

Os palestinos consideram Jerusalém Oriental, ocupada e anexada por Israel, como a capital do Estado que almejam.

Mais Esporte