Topo

Esporte

Simone Biles revela abuso de médico da equipe dos EUA preso

15/01/2018 21h09

Los Angeles, 15 Jan 2018 (AFP) - A super estrela olímpica de ginástica, Simone Biles, confirmou nesta segunda-feira ter sido abusada sexualmente pelo ex-médico da seleção dos Estados Unidos, Larry Nassar, condenado a mais de 60 anos de prisão por acusações de pornografia infantil.

Em comunicado publicado no Twitter, Biles disse que tinha lutado em sua decisão de tornar pública a história desde que o escândalo surgiu.

"A maioria de vocês me conhece como uma menina feliz, risonha e enérgica", escreveu a campeã olímpica de 20 anos de idade.

"Mas ultimamente me senti um pouco mal. Quanto mais tento apagar a voz da minha cabeça, mais forte ela grita. Não tenho medo de contar minha história nunca mais", acrescentou a ginasta.

"Eu também sou um das muitas sobreviventes que foram abusadas sexualmente por Larry Nassar", acrescentou a 10 vezes campeã mundial de ginástica.

Nassar foi acusado de assediar sexualmente mais de 100 meninas, incluindo várias da equipe olímpica dos Estados Unidos.

As companheiras de Biles, Aly Raisman, McKayla Maroney e Gabby Douglas estão entre os membros do time americano que revelaram terem sido atacadas sexualmente por Nassar.

Em dezembro, o homem foi condenado a 60 anos de prisão por acusações de pornografia infantil.

Nassar pode ter prisão perpétua quando uma nova audiência de sentença se iniciar em Michigan nesta semana. O ex-médico se declarou culpado às acusações de assédio sexual.

Em sua declaração, Biles descreveu seu tormento enquanto tentava lidar com o abuso que havia sofrido.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte