Topo

Esporte

Djokovic nega ser organizador de um sindicato para aumentar premiação

16/01/2018 09h41

Melbourne, 16 Jan 2018 (AFP) - Novak Djokovic classificou nesta terça-feira de "exageradas" as matérias da imprensa que o colocam como organizador de um sindicato de tenistas com o objetivo de aumentar as premiações, em reunião na véspera do início de disputa do Aberto da Austrália.

"Eu vi que algum de vocês (jornalistas) escreveram histórias um pouco exageradas. Colocaram as coisas fora de contexto. Fui desenhado como alguém ávido, que pede mais dinheiro e deseja um boicote", criticou o sérvio, em entrevista coletiva após a vitória sobre o americano Donald Young.

"Poucas coisas que foram escritas são verdade. O que aconteceu, entre nós jogadores, é que queríamos falar de alguns temas. Não acredito que seja algo de ruim. Nenhuma decisão foi tomada. Ninguém falou em boicote ou de coisas deste tipo", se defendeu o seis vezes campeão do Aberto da Austrália, de volta ao circuito após seis meses longe das quadras por lesão no cotovelo.

Djokovic não quis entrar em detalhes sobre o que foi conversado na reunião, que contou com a presença de uma centena de tenistas. O sérvio garantiu que não havia um advogado presente e que pediu a palavra para homenagear os organizadores do Aberto da Austrália.

"Todos tentam dar seu melhor. Aqui, no Aberto da Austrália, tentam fazer o jogador estar confortável. Craig Tiley (diretor do torneio) quer que os jogadores se sintam em casa, que sejam respeitados", declarou Djoko.

Mais Esporte