Topo

Esporte

Rússia é excluída da Paraolímpiada de Inverno, mas abre chance a atletas

Lee Jin-man/AP
Imagem: Lee Jin-man/AP

29/01/2018 12h03

A Rússia foi excluída dos Jogos Paraolímpicos de Inverno de Pyeongchang-2018, na Coreia do Sul, em consequência do vasto escândalo de doping, anunciou nesta segunda-feira o Comitê Paraolímpico Internacional, mas alguns atletas serão autorizados a competir sob bandeira neutra.

"O Comitê Paraolímpico Internacional anunciou nesta segunda-feira 29 de janeiro a manutenção da suspensão (que data de 2016) do Comitê Paraolímpico Russo (CPR). No entanto, alguns atletas paraolímpicos poderão participar sob rígidas condições em cinco esportes, na qualidade de atletas paraolímpicos neutros", anunciou a entidade em um comunicado.

Os atletas olímpicos do país já haviam sido proibidos de disputar os Jogos de Pyeongchang pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), em dezembro de 2017.

No entanto, ao constatar "progressos" na Rússia na luta contra o doping de atletas paralímpicos, o CPI autorizará alguns atletas filtrados a competir no esqui, no biatlo, no cross-country, no snowboard e no curling em cadeira de rodas. Estes atletas terão que desfilar sob a bandeira olímpica, e não da Rússia.

O CIP explicou que seu homólogo russo colocou em prática um "sistema robusto de análise" supervisionado pela Agência Mundial Antidoping (Wada) e uma linha telefônica para permitir a denúncia de casos de doping.

Apesar dos esforços russos, a CIP informou que não poderia retirar a suspensão olímpica do país enquanto a Agência antidoping da Rússia não estiver certificada pela Wada.

A CPR foi suspensa em agosto de 2016, após as revelações do relatório McLaren sobre um sistema de doping estatal na Rússia, que acabou proibida de disputar os Jogos Olímpicos do Rio.

O relatório, de responsabilidade do advogado canadense Richard McLaren, acusou as autoridades russas de organizar um sistema de doping estatal que permitia falsificar as análises das amostras dos atletas russos dopados.

Mais Esporte