Topo

Esporte

Condenado por abuso sexual, ex-médico de ginastas dos EUA volta ao tribunal

Julia Nagy/Lansing State Journal via AP
Larry Nassar, médico condenado por abusos sexuais contra ginastas nos Estados Unidos Imagem: Julia Nagy/Lansing State Journal via AP

30/01/2018 23h02

Chicago, 31 Jan 2018 (AFP) - O ex-médico da equipe de ginástica dos Estados Unidos Larry Nassar, condenado a entre 40 e 175 anos de prisão por abusos sexuais contra dezenas de ginastas menores de idade, voltará nesta quarta-feira ao tribunal para o último julgamento programado.

Cinquenta e sete supostas vítimas testemunharão contra Nassar, no maior escândalo sexual da história dos esportes nos Estados Unidos.

Na semana passada, Nassar foi condenado a entre 40 e 175 anos de prisão por abuso sexual múltiplo de jovens ginastas, incluindo várias campeãs olímpicas, sob a aparência de realizar funções médicas.

O médico de 54 anos havia sido condenado anteriormente a 60 anos de prisão por pornografia infantil, outro aspecto do caso que levou à queda de grande parte da junta diretora da Federação de ginástica americana.

Nesta quarta-feira, em um tribunal de Charlotte, Michigan, Nassar enfrentará suas vítimas, que também o acusam de abuso sexual no centro de treinamento Twistars, fatos pelos que já se declarou culpado e poderia ser condenado a entre 40 a 125 anos adicionais na prisão.

"O grupo de testemunhas será uma combinação de sobreviventes que já falaram e de novas oradoras", explicou à AFP Andrea Bitely, porta-voz do procurador de Michigan.

Paralelamente ao julgamento, estão sendo realizadas investigações em vários níveis para tentar compreender como o ex-médico esportivo pôde cometer estes ataques sexuais com impunidade durante anos.

O procurador-geral de Michigan, Bill Schuette, prometeu no sábado uma "investigação exaustiva do que ocorreu na Universidade Estatal de Michigan (MSU)".

Mais Esporte