Topo

Esporte

Vinícius Jr, a joia que encantou o Real Madrid

04/03/2018 14h40

Rio de Janeiro, 4 Mar 2018 (AFP) - Comprado a preço de ouro pelo Real Madrid em maio, Vinícius Júnior brilha atualmente no Flamengo e tenta provar que, aos 17 anos, está à altura de sua reputação de sucessor de Neymar.

Há nove meses, quando o gigante espanhol desembolsou 45 milhões de euros para contar com os serviços do adolescentes que tinha apenas dois jogos como profissional no currículo, a aposta parecia ousada.

Mas o jovem atacante está acostumado a queimar etapas e desafios não lhe assustam. Por enquanto, Vinícius segue no Flamengo, mas poderá se juntar ao elenco do Real a partir de julho, quando atingir a maior idade.

"Falo com o Marcelo e o Casemiro de vez em quando. Também estive com eles no clube, em Madri, no fim do ano passado, quando conheci alguns outros jogadores, como o Cristiano Ronaldo. E tudo o que eles me passaram sobre o Real pude ver um pouco com os meus próprios olhos. É um clube fantástico. Mas, como disse, tudo tem a sua hora para acontecer. Minha cabeça ainda está no Flamengo e tenho muito a dar aqui ainda", afirmou o jogador à AFP.

Fenômeno de precocidade, a joia sonha em fazer parte da seleção brasileira que disputará a Copa do Mundo da Rússia, seguindo o exemplo de Ronaldo, que foi campeão do mundo em 1994 com apenas 17 anos, mesmo sem entrar em campo nos Estados Unidos.

Foi Ronaldinho Gaúcho que colocou uma pulga atrás da orelha da promessa rubro-negra.

"Esses dias estive com o Ronaldinho e ele me falou que sempre levam um jogador mais novo. Me falou para ficar sempre concentrado. Se pintar oportunidade, estar preparado", revelou Vinícius na semana passada, em entrevista ao site Globoesporte.com.

- 'Chapéu' triplo -Mesmo se ainda não foi chamado por Tite, o jovem do drible fácil já mostrou todo seu talento com a camisa do Brasil, mas nas categorias de base.

Em março de 2017, a imagem mais marcante do Campeonato Sul-Americano Sub-17 sem dúvida foi a sequência de dribles desconcertantes que Vinícius aplicou em adversários da seleção paraguaia, três 'chapéus' seguidos que colocaram o menino de vez no centro das atenções, algumas semanas antes de ser comprado pelo Real Madrid.

"É o típico jogador brasileiro, tem velocidade incrível com a bola, rapidez de raciocínio, muita qualidade técnica, muito improviso, chama a responsabilidade para ele", elogiou Márcio Torres, que treinou o craque no sub-17 do Flamengo.

Em 18 de fevereiro, Vinícius ergueu seu primeiro troféu como profissional, a Taça Guanabara do Campeonato Carioca.

E o menino não tem medo de polêmica. Rubro-negro fanático, Vinícius não hesitou em comemorar com o "chororô" o gol no ângulo marcado na vitória sobre o Botafogo (3-1), pelas semifinais da competição, provocando o rival.

A comemoração causou um pequeno incidente diplomático com o Botafogo, que em represália se recusou a ceder o estádio Nílton Santos para a final da Taça Guanabara, vencida pelo Flamengo, novamente com gol da joia.

- 'Menino fantástico' -O jovem recebeu o apoio de seu grande ídolo, Neymar, em tuíte no qual o craque do Paris Saint-Germain critica um futebol "chato" em que não se pode mais provocar o adversário.

Mas, ao contrário de Neymar, Vinícius nunca carregou uma imagem de menino mimado.

"Mesmo com todo o destaque que teve na base do Fla, ele nunca fez questão de privilégios, nunca chegava atrasado para treino, nunca teve problema com treinador, de vaidade com o grupo", garante Israel Falcão, ex-responsável pelas categorias de base do Flamengo, que viu Vinícius chegar ao clube com apenas 11 anos.

"É um menino fantástico por ter uma estrutura familiar muito boa. Apesar de vir de família humilde, o pai dele sempre trabalhou, nunca quis explorar o filho como mercadoria", completa.

De fato, a família precisou lidar com a cobiça de vários times desde cedo.

Aos 13 anos, o Corinthians tentou levar sem sucesso a promessa para São Paulo. No ano seguinte, foi a fez do Cruzeiro, que chegou a oferecer um emprego ao pai, num momento em que o Arsenal também seguia Vinícius de perto.

Quem acabou arrematando a joia foi o Real, que precisou quebrar a banca para convencer o Flamengo e o entorno do jogador a aceitar a proposta.

"Gostaria de vê-lo mais tempo, ficamos tristes, mas a gente sabe que com essas cifras, não tinha como não fazer essa negociação. Tenho certeza que vai ser bem-sucedido na Espanha. Acho que vai ter um período de adaptação, mas a personalidade dele, a irreverencia para jogar fazem com que se adapte rápido", prevê Márcio Torres.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte