Topo

Esporte

Sem Neymar, Brasil encara Rússia no estádio da final da Copa

22/03/2018 15h35

Moscou, 22 Mar 2018 (AFP) - Decidida a mostrar que não depende apenas de Neymar, a seleção brasileira medirá forças nesta sexta-feira com a Rússia no mesmo estádio que sediará a final da Copa do Mundo. Mas, para voltar a Moscou no dia 15 de julho, o Brasil precisa mostrar que superou as dependências do passado.

Após o duelo no estádio Luzhniki da capital russa, o Brasil terá outra experiência terapêutica: o primeiro reencontro com a Alemanha desde o 7 a 1 da Copa de 2014.

1. O substituto de NeymarDepois de terminar o ano de 2017 como um dos favoritos ao título na Rússia, o Brasil sofreu um contratempo em sua preparação com a lesão de Neymar, o que obrigou o técnico Tite a adiar em 10 dias a convocação da seleção para os amistosos de março.

E, embora tenha apostado todas as fichas na Copa do Mundo ao optar por operar o pé, Neymar só voltará aos campos em final de maio.

Para o lugar de Neymar, Tite deve optar pelo rápido e habilidoso Douglas Costa, que atuaria pela ponta esquerda, enquanto Willian se encarregaria do lado direito do ataque brasileiro, com Gabriel Jesus mais centralizado.

Com isso, quem perderia a posição de titular seria o meia Renato Augusto, substituído por Philippe Coutinho. Tudo, porém, não passa de especulação, já que Tite se mostrou mais misterioso do que nunca em relação à escalação da equipe. Tanto que o próprio Douglas Costa não soube dizer se jogará.

"O Tite ainda não falou nada. Temos grandes nomes para o lugar do Neymar, mas será difícil. O importante é fortalecer o grupo. Ele é um grande jogador, mas isso abre espaço para outros jogadores", afirmou o jogador da Juventus na terça-feira.

2. Chuva de lesõesA ausência de Neymar não foi a única a afetar o Brasil neste mês. O lateral-esquerdo Alex Sandro, chamado justamente para substituir o lesionado Filipe Luis, precisou ser cortado da seleção na terça-feira devido a uma lesão muscular na coxa.

Tite acabou surpreendendo a todos ao chamar o desconhecido Ismaily, do Shakhtar Donestk, para se juntar com urgência à seleção, que tem apenas oito vagas abertas na delegação que irá à Rússia, segundo admitiu o próprio técnico.

Mas, mesmo com 15 jogadores tendo seus lugares garantidos na Copa, a competitividade não parece diminuir num grupo amadurecido pela catástrofe de 2014.

"Está todo mundo no mesmo nível, até os que já foram confirmados por Tite. Não queremos dar oportunidade para quem não está (...) Ele não garantiu quem será titular e eu não quero dar oportunidade a ninguém", confessou Casemiro, um dos pilares da seleção de Tite.

3. Em busca de vingançaCom o ferida da última Copa do Mundo ainda aberta, a seleção está há quatro anos sonhando com a redenção na Rússia. Mas o caminho não foi fácil. Destroçado pela humilhação no Maracanã, o Brasil vagou pelas eliminatórias até ressuscitar sob o comando de Tite, que soma apenas uma derrota em 17 jogos no comando da equipe.

Sem rivais na América do Sul e primeira seleção a conquistar uma vaga na Copa do Mundo da Rússia, o Brasil é tido por muitos especialistas como o grande favorito ao título mundial. Dentro da equipe, porém, ninguém esquece o preço do excesso de confiança.

"Para nós, está preparação está sendo importante, conhecer o país sede da Copa, um pouco as instalações. Vamos jogar neste estádio e espero que possamos estar aqui na final, mas para isso é preciso trabalhar muito bem. Continuar em alto nível neste período final", opinou Coutinho.

Cabeça de chave do Grupo E, o Brasil estreia na Copa da Rússia em 17 de junho contra a Suíça, antes de medir forças com Costa Rica e Sérvia.

4. SurpresaPara este teste inicial de 2018, o Brasil terá em frente uma motivada Rússia que conta as horas até sediar sua primeira Copa do Mundo. Para os anfitriões, porém, também não faltam contratempos, tendo que reprogramar o treino de quarta-feira para passar por um controle antidoping surpresa, com o país na mira das autoridades após os escândalos recentes.

Eliminada na fase de grupos da Copa do Mundo do Brasil, a Rússia estreia em seu Mundial no dia 14 de junho contra a Arábia Saudita neste mesmo estádio Luzhniki. Depois, medirá forças com Egito e Uruguai, seus outros rivais no Grupo A.

O amistoso entre Rússia e Brasil tem pontapé inicial marcado para às 13h00, horário de Brasília, e será apitado pelo árbitro bielorrusso Aleksei Kulbakov.

Prováveis escalações:

Rússia: Andrei Lunev - Vladimir Granat, Fedor Koudryashov, Dmitry Kombarov - Igor Smolnikov, Denis Glushakov, Daler Kuzyaev, Denis Cheryshev - Alexei Miranchuk, Fedor Smolov, Alan Dzagoev. T: Stanislav Cherchesov.

Brasil: Alisson - Daniel Alves, Thiago Silva, Miranda, Marcelo - Casemiro, Paulinho, Coutinho - Willian, Douglas Costa e Gabriel Jesus. T: Tite.

bur-rs/cl/am

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte