Topo

Esporte

Sem Neymar, Brasil mostra força e vence Rússia no palco da final da Copa

23/03/2018 15h51

Moscou, 23 Mar 2018 (AFP) - Sem Neymar, o Brasil apresentou todo seu arsenal de armas ao derrotar por 3 a 0 a Rússia, nesta sexta-feira em Moscou, em amistoso preparatório para a Copa do Mundo de 2018 disputado no palco da final do próximo Mundial.

Com o craque do Paris Saint-Germain se recuperando no Brasil da cirurgia no pé direito, Tite teve a oportunidade de testar novos jogadores, e a seleção respondeu positivamente, apresentando uma marcação eficiente e um ataque veloz e perigoso.

Apesar do enorme domínio no jogo, o Brasil só conseguiu deslanchar no segundo tempo, quando marcou três gols em 13 minutos.

Miranda abriu o placar aos 7 minutos da segunda etapa, Philippe Coutinho ampliou convertendo pênalti, aos 17, e Paulinho fechou a conta aos 20.

Cabeça de chave do Grupo E da Copa do Mundo da Rússia, na qual enfrentará Suíça, Costa Rica e Sérvia, o Brasil volta a campo na próxima terça-feira para um segundo amistoso preparativo para o Mundial, desta vez contra a Alemanha em Berlim, no primeiro reencontro com os atuais campeões do mundo desde o fatídico 7 a 1.

- Paredão russo -Como Tite já havia previsto, o amistoso contra a limitada Rússia serviu para testar uma nova formação diante de seleções muito retrancadas na defesa, ponto fraco do Brasil até então.

Para superar uma última linha russa de cinco defensores, Tite optou por tirar Renato Augusto, volante mais marcador e seu habitual titular, e colocar o ofensivo Philippe Coutinho mais centralizado, com Willian pela ponta-direita e Douglas Costa, substituto de Neymar, pela esquerda. Gabriel Jesus jogou como atacante pelo meio.

Deu Certo. O Brasil manteve a posse de bola, e a habilidade dos dois pontas, aliada às consistentes chegadas de Paulinho no ataque, incomodaram a marcação russa. Mas a seleção desperdiçou as chances criadas.

Na melhor delas, logo aos 4 minutos, Daniel Alves deixou Gabriel Jesus na cara do gol, mas o atacante do Manchester City finalizou em cima do goleiro Akinfeev.

Em dificuldades, a Rússia só conseguiu assustar o gol de Alisson em momentos de desatenção e erros individuais dos jogadores brasileiros.

Aos 31 minutos, Daniel Alves tentou driblar no meio de campo e perdeu a bola, armando um contra-ataque russo que terminou com Smolov chutando da entrada da área e Alisson espalmando para escanteio.

Cinco minutos depois, uma saída de bola errada resultou em Miranchuk aparecendo na cara do gol. O meia russo acabou chutando por cima do gol.

- 13 minutos promissores -Na conversa de vestiário durante o intervalo, Tite fez ajustes na marcação e, com Philippe Coutinho um pouco mais adiantado, o Brasil parou de dar chance ao azar, acertou seu posicionamento defensivo e afiou a pontaria.

Com essa nova postura, o Brasil precisou de 13 minutos de gala, repletos de arrancadas de Douglas Costa, dribles de Coutinho e de Willian e chegadas ao ataque de Paulinho para construir a vitória.

O primeiro gol, porém, veio em cobrança de escanteio e contou com a participação dos dois zagueiros da equipe.

Thiago Silva subiu mais que a zaga russa e cabeceou colocado, mas Akinfeev defendeu. No rebote, Miranda apareceu para fuzilar as redes.

Coutinho ampliou o placar convertendo pênalti sofrido por Paulinho. Em seguida, o volante do Barcelona, que infernizou a zaga russa no apoio ao ataque brasileiro, foi recompensado por sua bela partida anotando o terceiro gol da seleção, de cabeça após cruzamento preciso de Willian.

Com a vitória garantida e os titulares mostrando que podem dar conta do recado mesmo sem toda a qualidade de Neymar, Tite aproveitou para desfigurar o time com diversas substituições e dar oportunidades a jogadores que ainda não carimbaram seus bilhetes para a Copa.

Com isso, Fagner, Geromel, Taison e Fred entraram em campo no fim da partida, mas o placar não voltou a mexer.

am

Mais Esporte