Topo

Esporte

Messi admite que sua geração tem dívida para ganhar Copa do Mundo

26/03/2018 16h01

Buenos Aires, 26 Mar 2018 (AFP) - O astro argentino Lionel Messi admitiu nesta segunda-feira sua geração tem "uma dívida" em ganhar a Copa do Mundo, mas esclareceu que o compromisso é feito mais entre os jogadores do que com os torcedores.

"A dívida nós temos com nós mesmos, antes de com as pessoas. Chegamos a três finais e não aconteceu (duas Copa América e um Mundial). Estivemos muito perto", disse o camisa 10 em entrevista ao canal Fox Sports.

Na véspera do amistoso contra a Espanha, em Madri, Messi disse que "tomara que possamos tirar essa espinha".

A geração liderada por Messi e formada por Sergio Agüero, Gonzalo Higuaín, Angel Di María e Javier Mascherano perdeu duas finais da Copa América para o Chile, em 2015 e 2016, e caiu para a Alemanha por 1 a 0 na final da Copa do Mundo do Brasil-2014.

Perguntado se a Copa da Rússia é sua última oportunidade, Messi respondeu que é assim "sempre".

"Agora mais do que nunca, porque uma geração importante se vai, vão mudar muitos jogadores. Existe trabalho de futuro com Sub-17 e Sub-20", destacou.

A Argentina está no grupo D, ao lado de Islândia, Croácia e Nigéria.

"Será uma linda oportunidade. Não tivemos muito tempo para nos preparar. A Argentina sempre é candidata pelo escudo, pela história. Mas hoje não somos candidatos. Espanha, Brasil, Alemanha e França estão acima da gente", analisou.

Aos 30 anos, Messi disputou três mundiais sem poder levantar o troféu (Alemanha-2006, África do Sul-2010 e Brasil). O último título do país foi no México-1986.

O craque não jogou no amistoso contra a Itália (2-0) por conta de dores musculares. "Vamos fazer um último treinamento. No domingo trabalhei normalmente, me senti bem. Espero jogar", indicou.

Convidado a rever um chute desviado em momento crucial da final com a Alemanha, Messi disse que não tinha visto o vídeo. Mas "tomando mate outro dia, pensei em como bati, como tinha o apoio e no mal que chutei", indicou.

"Fiquei chateado, impotente e sempre me dói. Mas desde que chegou ao mundo meu filho Thiago, não me afeta do mesmo modo. Mas foi terrível", indicou.

Messi avaliou que se sente "espetacular" no Barcelona, com "outra forma de ver os jogos". "Quanto mais jogo, melhor me sinto. Se jogo apenas um jogo na semana, chego pesado", revelou.

Mais Esporte