Topo

Esporte

Salah foi vendido "antes do efeito Neymar", explica diretor da Roma

28/03/2018 17h11

Roma, 28 Mar 2018 (AFP) - O diretor esportivo da Roma, Monchi, voltou a falar nesta quarta-feira sobre a venda do atacante egípcio Mohamed Salah ao Liverpool, no ano passado por apenas 40 milhões de euros, citando o "efeito Neymar" como responsável pelo valor baixo da transação.

"Para entender a venda, é preciso entender duas coisas. Primeiramente, ela foi feita antes do efeito Neymar, que revolucionou o mercado", declarou Monchi em encontro com a imprensa estrangeira em Roma.

Ao citar um "efeito Neymar", o diretor esportivo espanhol se refere à transferência do craque brasileiro, que trocou o Barcelona pelo Paris Saint-Germain por 222 milhões de euros.

"Em seguida, tínhamos que vendê-lo antes de 30 de junho" devido ao regulamento do fair-play financeiro, continuou Monchi. "Quem conhece um pouco de negócios sabe que é como ter uma espada de Dâmocles em cima da cabeça", explicou.

"Se tomarmos em conta esses dois elementos, acredito que fizemos uma venda correta", afirmou Monchi. Agora, Salah está fazendo uma temporada incrível e com os efeitos Neymar, Coutinho, Dembélé, seu preço sem dúvida subiu", completou o ex-diretor do Sevilla.

Com o Liverpool, Salah é atualmente o artilheiro da Premier League com 28 gols em 30 jogos. No total, o egípcio anotou 36 gols em todas as competições na temporada.

"Ele é muito bom. Mas é surpreendente, porque ele voltou a jogar num campeonato no qual não tinha ido bem no Chelsea. Ele encontrou um técnico, companheiros que lhe deram muita confiança, uma equipe que lhe convém bem, que corresponde a seu estilo de jogo", concluiu Monchi.

Mais Esporte