Topo

Esporte


Federação marroquina denuncia sistema de pontuação "injusto" para Copa-2026

02/04/2018 17h04

Rabat, 2 Abr 2018 (AFP) - A Federação Marroquina de Futebol (FRMF) contestou o sistema de pontuação e os critérios técnicos da Fifa para escolher a sede da Copa do Mundo-2026, denunciando "a injustiça" do processo, segundo mensagem da qual a AFP obteve uma cópia nesta segunda-feira.

"Somos firmemente contra a manutenção do atual sistema de pontuação (...) e consideramos que toda ação neste sentido seria injusta", criticou a mensagem enviada pelo presidente da FRMF, Fouzi Lekjaa, ao presidente da Fifa, Gianni Infantino.

O sistema de pontuação que "adiciona novos critérios técnicos que não figuravam nas condições transmitidas inicialmente pela Fifa" foi divulgado "em 14 de março, ou seja, menos de 24 horas antes da apresentação do dossiê técnico da candidatura marroquina" e "a apenas 48 horas da data limite regulamentar de apresentação de candidaturas de 16 de março", ainda segundo a mensagem.

Este sistema "impõe novas regras" e modifica especialmente os "indicadores de hotéis", introduzindo um "tamanho mínimo para as cidades-sede", um "risco de sustentabilidade" para o estádios, uma capacidade mínima para os aeroportos e uma distância máxima entre o aeroporto e a cidade-sede, segundo um documento da Fifa publicado em 25 de março.

Com sua "candidatura africana", o Marrocos espera organizar a Copa do Mundo de 2026, a primeira que será disputada com 48 equipes, e enfrenta a candidatura conjunta de Estados Unidos, Canadá e México pelo direito de sediar o evento.

Esta é a quinta tentativa de organizar a competição pelo Marrocos, que prevê o uso de 12 estádios. O país africano conta com cinco estádios já construídos e que serão modernizados. Outros três ultramodernos estão projetados.

Já a candidatura conjunta norte-americana se apoia em 23 cidades-sede pré selecionadas, das quais quatro são mexicanas, três são canadenses e 16 são americanas. Destas, sairão 16 cidades-sede definitivas, com estádios de capacidade média de 68.000 lugares "já construídos e operacionais".

Uma comissão de avaliação da Fifa composta por cinco pessoas vai analisar "in loco" as candidaturas, com autoridade de descartar automaticamente qualquer uma delas em caso de insuficiência.

As 207 federações membro da Fifa vão escolher o organizador da Copa do Mundo-2026 no dia 13 de junho deste ano, um dia antes do início do Mundial da Rússia.

Segundo dados divulgados pela candidatura marroquina, sediar a Copa do Mundo trará receita de 2,7 bilhões de dólares ao país e criará cerca de 110.000 empregos.

Mais Esporte