Topo

Esporte

Justiça ucraniana condena francês por preparar atentados durante a Eurocopa

Christian Hartmann/Reuters
Vista geral do Stade de France antes de França e Portugal se enfrentarem na final da Eurocopa 2016 Imagem: Christian Hartmann/Reuters

21/05/2018 12h40

A Justiça ucraniana condenou Grégoire Moutax, preso em 2016 na fronteira polonesa com um arsenal de guerra e acusado de preparar atentatos durante a Eurocopa de 2016, a seis anos de prisão. A decisão foi anunciada nesta segunda-feira (21).

"A corte pronunciou a sentença: seis anos de prisão", indicou à AFP  Natalia  Lessiuk, responsável pelo tribunal local.

A corte da pequena cidade de Liuboml, em Volyn (oeste), considerou Moutaux, de 27 anos, culpado de "preparar um ataque terrorista, de posse ilegal e de tentativa de contrabando" de armas e explosivos, disse à AFP a porta-voz da Procuradoria regional, Natalia Murakhevych.

Natural de Meuse (leste da França), Grégoire Moutaux foi detectado em dezembro de 2015 na Ucrânia. Ele foi preso em 21 de maio de 2016 na fronteira ucraniano-polonesa, após seis meses de investigação, na posse de 125 quilos de TNT, de dois lançadores de foguetes antitanque, de cinco fuzis Kalashnikov e de mais de 5.000 munições, segundo o serviço de Inteligência ucraniano (SBU).

De acordo com o SUB, ele planejava atingir uma mesquita, uma sinagoga e centros de arrecadação de impostos para mostrar sua oposição à política de migração da França, à "disseminação do Islã" e à "globalização".

Na época, os investigadores franceses pareciam favorecer a pista de tráfico de armas, sem alvos terroristas. Uma investigação foi então confiada ao Escritório Central de Combate ao Crime Organizado e ao Serviço Regional da Polícia Judiciária de Nancy (leste).

Mais Esporte