Topo

Esporte

Tite mostra alívio com vitória e tira pressão sobre Neymar

22/06/2018 13h02

São Petersburgo, 22 Jun 2018 (AFP) - "É Copa do Mundo, parceiro", disse o técnico Tite após a suada vitória do Brasil sobre a Costa Rica por 2 a 0, nesta sexta-feira, e o sofrimento da Seleção nos dois jogos da Copa da Rússia até agora.

Normalmente mais polido em suas respostas, o treinador brasileiro se mostrou aliviado com o resultado e tirou a pressão sobre o Neymar, que marcou o segundo gol da vitória e caiu em lágrimas após o apito final.

"Ele tem a responsabilidade, a alegria, a pressão e a coragem pra externar esse sentimento. É desumano colocar a responsabilidade em um atleta. Ele ficou três meses e meio parado e a partida anterior foi a primeira. Ele é um ser humano, precisa de tempo para retomar o padrão alto", avaliou Tite.

Para o técnico, ficou nítida a diferença do nível de atuação da equipe nos dois tempos do jogo.

"Fizemos grande segundo tempo. Conseguiu botar volume, precisão e (o goleiro da Costa Rica) Keylor Navas jogou muito. O primeiro tempo não, (o Brasil) iniciou nervoso, errando passes", avaliou Tite em coletiva de imprensa após a partida.

O jogo ganhou contornos dramáticos por conta da atuação defensiva dos costarriquenhos, que se seguraram até os acréscimos da segunda etapa. Aos 43 minutos, o árbitro marcou pênalti para o Brasil, mas voltou atrás após analisar a suposta falta em Neymar no assistente de vídeo (VAR), considerando que o camisa 10 da Seleção se jogou.

"Se sou eu o árbitro, cal. Mas respeito porque é passível de interpretação. Nós não precisamos de arbitragem para vencer os jogos, queremos que ela seja justa. E tal qual foi olhado agora (no VAR), que seja olhado antes", indicou o treinador.

Tite também comentou o lance curioso após gol que tirou a igualdade do placar. O técnico foi em direção aos atletas para comemorar, mas acabou levando um tombo, uma imagem que rapidamente se espalhou pela internet.

"Não é possível, tudo que a gente tá fazendo e não sair gol, o Navas tirando tudo, a gente não acredita! Quando saiu o gol, o Ederson me bateu, aí quando eu vi o Cássio me bateu também, aí ferrou. Eu ia lá comemorar junto, mas não deu", brincou o técnico brasileiro.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte