Topo

Esporte

"Nenhum estádio me intimida", diz árbitro chileno da final da Libertadores

Alejandro Pagni/AFP
Roberto Tobar apitou também o jogo entre Boca e Palmeiras nas semifinais Imagem: Alejandro Pagni/AFP

Da AFP, em Santiago (Chile)

08/11/2018 15h41

O árbitro chileno Roberto Tobar afirmou não se sentir intimidado por ter sido escalado para apitar o primeiro jogo da final da Copa Libertadores 2018 entre os arquirrivais argentinos Boca Juniors e River Plate, que acontecerá neste sábado na mítica Bombonera.

Tobar, 40 anos e há sete árbitro Fifa, já apitou nesta Libertadores o jogo de ida entre Boca e Palmeiras, também na Bombonera, um estádio famoso pela proximidade da torcida ao campo.

"Não senti isso. Nenhum estádio me intimida", afirmou Tobar em entrevista publicada nesta quinta-feira pelo diário chileno La Tercera.

Leia também:

"Não tive nenhuma sensação que possa dizer que tenha sentido algum temor (...) As pessoas falam disso, mas no campo não senti qualquer movimento nesse sentido", disse Tovar, considerado um dos melhores árbitros chilenos da atualidade.

O clássico argentino na final da Libertadores tem enlouquecido os torcedores argentinos, que brigam pelos últimos ingressos disponíveis para o jogo de ida, uma partida que, para Tobar, será uma das maiores em sua carreira.

"Pela transcendência, a história das equipes e a importância que tem o jogo, claro que é o mais importante. Estou orgulhoso de estar envolvido", afirmou.

Tobar contará com a ajuda dos compatriotas Christian Schiemann e Claudio Ríos como assistentes. Já O VAR será responsabilidade do também chileno Julio Bascuñán.

"A confiança entre a equipe de campo e a equipe de VAR é muito maior. Temos a mesma nacionalidade, sabemos os modismos. A comunicação é mais fluida", garantiu.

A segunda final será disputada em 24 de novembro no estádio Monumental do River Plate. O árbitro desta partida ainda não foi anunciado pela Conmebol.

Mais Esporte