Topo

Esporte


Alpinista americano de 55 anos morre no topo do Everest

Facebook/Reprodução
Montanhista Donald Lynn Cash Imagem: Facebook/Reprodução

2019-05-23T06:19:00

23/05/2019 06h19

Um alpinista americano morreu no Everest no período de grande fluxo de montanhistas que tentam escalar a maior montanha do planeta, anunciou nesta quinta-feira sua expedição.

Donald Lynn Cash, 55 anos, desmaiou na quarta-feira no topo do Everest, a 8.848 metros de altura, quando estava fazendo fotos.

"Nossos dois sherpas o ajudaram a recuperar a consciência, mas ele faleceu quando o transportavam de volta", afirmou à AFP Pasang Tenje Sherpa, da expedição Pioneer Adventure.

A morte aconteceu no momento em que quase 200 pessoas tentavam chegar ao topo do Everest, em um dia de boas condições meteorológicas.

"Não sabemos o número de pessoas que conseguiram chegar ao topo, mas foi um dia de muito movimento. As expedições reclamam que é preciso esperar duas horas ou mais para chegar ao topo", disse Gyanendra Shrestha, funcionário do governo que estava no campo base.

Esta foi a terceira morte na atual temporada, após o falecimento na semana passada de um alpinista indiano e da provável morte de um irlandês que caiu perto do topo da montanha e não teve o corpo localizado.

No ano passado aconteceram cinco mortes durante escaladas ao Everest.

A cada ano centenas de alpinistas do mundo inteiro viajam ao Nepal entre abril e maio, a temporada mais favorável, para escalar o Everest. A ascensão é extremamente perigosa e provoca vítimas com frequência.

O Everest foi escalado pela primeira vez em 1953 pelo neozelandês Edmund Hillary e o nepalês Tenzing Norgay.

Mais Esporte