Esporte

Ex-TUF reclama de falta de suporte e patrocínio no MMA brasileiro

08/07/2016 13h00

Matheus Nicolau vai enfrentar John Moraga no TUF 23 Finale - Divulgação UFC

Matheus Nicolau vai enfrentar John Moraga no TUF 23 Finale – Divulgação/UFC

Ex-participante do TUF Brasil 4, Matheus Nicolau está prestes a fazer a luta mais importante da carreira na próxima sexta-feira (8), quando enfrentará John Moraga no TUF 23 Finale, em Las Vegas (EUA). Em busca da sua segunda vitória em duas lutas pelo UFC, o mineiro vem desfrutando de um bom momento dentro dos cages. Contudo, o mesmo não acontece do lado de fora do octógono. Sem patrocínio como a maioria dos lutadores de MMA no Brasil, o atleta reclamou da falta de apoio ao esporte no país.

Em conversa com a reportagem da Ag. Fight por telefone, Nicolau ressaltou que ele mesmo passa por dificuldade para viver como um atleta profissional. De acordo com o mineiro, mesmo com o aumento da popularidade do MMA no país, o esporte ainda é visto com maus olhos por muita gente.

"Essa questão de patrocínio e falta de suporte é o maior problema entre os lutadores brasileiros. Não só no MMA mas nos esportes em geral no Brasil. Mas no MMA e no boxe eu acho que isso acontece com mais impacto. Mesmo com a audiência e a popularidade do MMA tendo crescido bastante no Brasil, ainda existe um certo preconceito. E com os problemas políticos e econômicos que o país enfrentando, a beira de uma Olimpíadas, o último esporte que será apoiado vai ser o MMA. Eu não tenho nenhum patrocínio que me ajudar a pagar as minhas contas. Eu vivo da bolsa que ganho das lutas e se eu me machuco ou acabo sendo retirado de um card não recebo nada", analisou.

Após estrear no Ultimate com vitória sobre Bruno Rodrigues pelos pesos-galos (61 kg), Nicolau desceu de categoria e vai enfrentar Moraga pelos moscas (57 kg). Segundo o atleta, o seu objetivo sempre foi lutar na divisão abaixo da que disputou no TUF Brasil 4.

"A minha estreia no UFC foi nos galos porque essa foi a categoria que eu lutei no TUF. No reality show seria quase impossível eu bater o peso-mosca três vezes em apenas 45 dias - que é o que geralmente lutamos em um ano - e não ter uma queda no meu rendimento. Mas a minha ideia, mesmo antes de entrar na casa, era de lutar no peso-mosca do UFC. Esse foi o peso que lutei em todas as minhas apresentações antes de entrar no TUF ", contou.

Membro da equipe ‘Nova União’, Nicolau começou a competir MMA profissionalmente em 2010. Com apenas 23 anos de idade, o ex-TUF Brasil 4 coleciona na carreira um cartel com 11 vitórias e somente uma derrota.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo