Esporte

Alvarez revela que sentiu medo antes de enfrentar Dos Anjos

18/07/2016 13h45

Alvarez conseguiu o nocaute ainda no primeiro round da luta - Rigel Salazar

Alvarez conseguiu o nocaute ainda no primeiro round da luta – Rigel Salazar

Eddie Alvarez entrou para disputar o título dos leves (70 kg) contra Rafael dos Anjos como azarão e saiu campeão. Em um dos maiores desafios que já enfrentou em toda sua carreira, o atleta de 32 anos de idade mostrou no cage uma das suas melhores performances de todos os tempos, nocauteando o brasileiro no primeiro round. Alvarez atribuiu sua performance fenomenal a um sentimento que poucos lutadores admitem: medo.

Em entrevista ao podcast americano ‘MMA Hour’, Eddie explicou como que o medo de enfrentar o ex-campeão o ajudou a ser superior na luta. Ele também comentou que sempre procurou enfrentar adversários considerados perigosos com esse sentimento dentro de si para a concentração ficar ainda maior.

“Quando eu olho pra trás na minha carreira, todas as vezes que eu disse para as pessoas que ia lutar com alguém superior, alguém realmente perigoso, que estava acostumado a matar seus adversários, geralmente eu nocauteava essas pessoas. Isso não tem nada a ver com eu me achar bom ou ter certeza da minha técnica, eu estava com medo. Literalmente eu tinha medo de como o meu corpo ia reagir e isso fazia com que eu conseguisse performances fenomenais. Dos Anjos foi um cara desses. E foi por isso que eu disse que ele provavelmente não ia ser tão violento de início comigo como foi com o Pettis, por exemplo. Isso porque eu respondo diferente quando as pessoas me atacam dessa forma, e eu acho que é porque eu tenho um pouco de medo, sendo bem honesto”, revelou o novo campeão.

Ao contrário do que muitos pensam, Alvarez não considera sentir medo um sinal de fraqueza. Para ele, o melhor jeito é transformar essa sensação para algo a seu favor, usando o medo para se tornar um lutador mais perigoso dentro do cage.

“As pessoas dizem que sentir medo nesse esporte é um sinal de fraqueza. Como se lutadores não pudessem sentir medo, mas eu tenho um pensamento que diz: ‘Sinta medo, sinta muito medo’. Esse medo fez com que, durante toda a minha carreira, eu tivesse resultados fenomenais. Sentir medo é algo perfeitamente normal. Quando eu encontro caras assim, que me colocam medo e são super perigosos, eu respondo de maneira diferente”, esclareceu.

Se Alvarez gosta de enfrentar lutadores perigosos e com a capacidade de colocar medo, agora que é campeão da categoria, ele vai ter muitas oportunidades de sentir essa sensação novamente. Mesmo quando questionado sobre seus possíveis próximos adversários, Eddie revelou que está mais preocupado em levar o evento para sua cidade natal que é Filadélfia, nos Estados Unidos, do que com o nome do desafiante.

“Mais do que tudo, eu amaria se o UFC voltasse a acontecer na Filadélfia. Eu realmente quero fazer uma campanha para isso, eu quero muito ajudar nisso. Se não puder ser na Filadélfia, que seja em algum lugar próximo. Essa cidade está gritando com todas as suas forças para sediar uma edição”, finalizou o campeão.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo