Esporte

Zé Aldo acusa lutadores americanos de doping: "Nunca foram puros"

20/07/2016 14h31

Zé Aldo não economizou ao falar de doping - Felipe Castello Branco

Zé Aldo não economizou ao falar de doping – Felipe Castello Branco

Depois de quase duas semanas de merecidas férias após a conquista do cinturão interino dos pesos-penas (66 kg), José Aldo marcou uma coletiva de imprensa na cidade do Rio de Janeiro nesta quarta-feira (20) na qual foi abordado sobre os mais variados temas. Entre análises de sua vitória contra Frankie Edgar e projeções sobre a quase iminente revanche contra Conor McGregor, o atleta da academia Nova União fez uma curiosa e elaborada relação entre os casos de doping envolvendo lutadores brasileiros e americanos.

Isso porque, após ver Joe Rogan, comentarista do UFC, insinuar que ele aparentava estar mais fraco depois da implementação dos testes antidoping da USADA (agência reguladora dos exames antidopagem no evento) em meio a uma série de acusações aos atletas brasileiros, Aldo se mostrou inconformado. Afinal, na visão do campeão, o Brasil historicamente tem menos acesso aos esteroides mais novos e eficazes do que os EUA, país de primeiro mundo.

“Todo mundo fala dos brasileiros mas, querendo ou não, somos país de terceiro mundo e eles desenvolvem muito mais coisas do que a gente. Quando chega aqui é uma coisa passada. Como o Nate falou, poucos deles não usam alguma coisa. Acredito que a maioria toma”, afirmou o atleta sob o olhar atento dos jornalistas.

Curiosamente, Aldo é um dos lutadores do UFC mais testados na temporada 2016 ao lado de nomes como Conor McGregor, Holly Holm e Vitor Belfort. Sem nunca ter sido flagrado nos exames, o lutador tomou as dores pela fama de trapaceiros dos atletas brasileiros e questionou o excesso de flagras em astros do MMA americano.

“Se você for ver, estão caindo vários. Então já tirou esse lado dos brasileiros. Nosso caso foi pouco pelo fato da gente saber que eles nunca foram puros, sempre tomaram muita coisas. Eles não são p… nenhuma de olímpico. Olímpico é a gente que come arroz e feijão e bate neles ”, provocou em momento de visibilidade ao tema.

Realizado no último dia 9 de julho, o UFC 200 marcou o show de maior importância na história da companhia. E os exames antidoping afetaram diretamente este card. A começar por Jon Jones, campeão interino dos meio-pesados (93 kg) que foi flagrado e retirado do evento três dias antes de enfrentar Daniel Comier – Anderson Silva foi escalado para o seu lugar. Já nesta semana, Brock Lesnar, peso-pesado que retornou ao cage na histórica edição, foi testado de forma positiva em dois exames; fora e dentro do período de competição.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo