Esporte

De molho após cirurgia, brasileiro do UFC investe em lado empreendedor nos EUA

26/07/2016 09h00

Tanquinho é campeão mundial de jiu-jitsu e está invicto no MMA - Erik Engelhart

Tanquinho é campeão mundial de jiu-jitsu e está invicto no MMA – Erik Engelhart

A temporada 2016 definitivamente não é a das melhores na carreira de Augusto ‘Tanquinho’. Depois de perder a invencibilidade no MMA em fevereiro, quando foi superado por Cody Garbrandt por pontos, o brasileiro operou o cruzado anterior de seu joelho e deu adeus ao octógono pelo resto do ano. Mas se engana quem pensa que isso impediria o campeão de jiu-jitsu de encontrar novas oportunidades e motivações.

Afinal, impedido de treinar e competir, Tanquinho tem mais tempo livre, o que acelerou a realização de um velho sonho do competidor: abrir sua própria academia nos EUA, onde mora. E isso só será possível com a dedicação integral que os camps para lutas no UFC não permitiriam.

“Eu tinha a vontade de abrir minha própria academia. Dou aula aqui no Arizona, mas não é a minha academia. Tinha essa vontade de ter ela, mas não agora, era para quando acabasse de lutar. Mas aconteceu essa lesão, comecei a focar em outros projetos, e já que vou ficar uns seis meses sem lutar e treinar, foquei na minha própria academia. E logo inauguro ela, até o começo de agosto”, narrou em conversa com a reportagem da Ag. Fight.

Ao mesmo tempo que o próprio negócio significa uma nova fonte de renda e a consolidação do nome do atleta, Tanquinho reconhece que a demanda de tempo exigida para ele como professor e gestor da academia vai na contramão da dedicação exclusiva ao esporte necessária atualmente.

E para driblar essa necessidade, o famoso ‘jeitinho brasileiro’ entrará em ação. Desta forma, quando o atleta tiver um combate programado no UFC, suas funções na academia serão delegadas ao amigo e aluno que ele próprio “importou” do Brasil para ajudá-lo no empreendimento.

“Vou ter um trabalho extra que eu não tinha antes. Mas esse tempo sem lutar eu estou focando bastante na organização e gerenciamento. Tenho um faixa-preta meu do Brasil que eu trouxe para dar aula. Quando eu tiver camp ele vai segurar a onda para mim. Atrapalhar, eu sei vai atrapalhar, não tem como fazer os dois cem por cento. Sei que quando for focar no treino eu vou largar alguns horários de lado. Mas é a mesma coisa agora, que não tenho nada e eu foco na academia. Tem que balancear e saber a hora certa de cada coisa”, garantiu o agora empreendedor.

Com previsão para retornar ao UFC no primeiro trimestre de 2017, Tanquinho, de 33 anos, segue em busca de repetir o sucesso conquistado no Legacy, quando se tornou campeão dos galos (61 kg)  acumulou um cartel perfeito após cinco lutas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo