Esporte

Cormier revela surpresa negativa com retorno financeiro do UFC 200

Ag. Fight

06/10/2016 14h49

Na mesma noite, Anderson Silva retornou ao octógono para enfrentar Daniel Cormier em um combate para o qual foi escalado dois dias antes da disputa- Rigel Salazar

Anderson Silva enfrentou Daniel Cormier no card do UFC 200, em Las Vegas – Rigel Salazar

Campeão dos meio-pesados (93 kg) do UFC, Daniel Cormier tem duelo importante pela frente. Oficializada na última quarta-feira (5), sua revanche contra Anthony Johnson será realizada no próximo dia 10 de dezembro, o que rapidamente expôs a negativa do veterano em se apresentar no card do show em Nova York (EUA), um mês antes. E, apesar da diferença que isso fará em seu pagamento, ele não parece estar preocupado.

Em sua última apresentação no octógono, Cormier bateu Anderson Silva no evento de número 200 da companhia. O card, o quinto mais visto na história do evento, quebrou a barreira de 1,2 milhão de pay-per-views vendidos e, para isso, contou com diversos nomes estrelados, incluindo o retorno de Brock Lesnar ao cage. Seleção esta que, de acordo com o campeão dos meio-pesados, não foi o suficiente para atingir a expectativa criada.

“Eu faria mais dinheiro se eu lutasse no UFC 205. McGregor vende mais pay-per-view do que qualquer outro no jogo. Então, obviamente eu iria me beneficiar com isso. Mas Tyron Woodley vai se beneficiar, assim como Joanna Jedrzejczyk, e eu estou feliz por eles. Lutei no UFC 200, e mesmo que a gente não tenha feito o dinheiro que esperávamos, nós fizemos muito dinheiro”, revelou em conversa com o podcast do site MMA Junkie.

Ciente de que ao estar fora do card liderado por Conor McGregor no Madison Squaere Garden a sua conta bancária sentirá o efeito, Cormier revelou que precisava do tempo para se tratar de uma nova lesão em seu joelho. Aos 37 anos, ‘DC’ optou por se apresentar no melhor se sua forma, mesmo que isso leve sua luta para Toronto, no Canadá.

“Eu tinha algumas coisas para fazer no meu joelho. Então eu precisava de mais algum tempo. Obviamente, eu não ia dizer Anthony Johnson sobre isso, mas eu lutei no UFC 200, que fui um card enorme, então eu não sinto que preciso estar no primeiro card no Madison Square Garden”, ressaltou.

Com 18 vitórias e apenas uma derrota em sua carreira profissional, Cormier ainda espera a definição do futuro de Jon Jones, único homem a derrotá-lo no cage. Escalados para medirem forças em abril e julho, a lesão de DC e o flagra no antidoping de ‘Bones’ (que teve seu julgamento sobre o caso adiado) deixaram os fãs impossibilitados de verem a revanche. Ao menos por enquanto!

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo