Esporte

Comissão Atlética autoriza utilização de replay em lutas de MMA no Brasil

Reinaldo Canato/UOL
Imagem: Reinaldo Canato/UOL

Ag. Fight

17/10/2016 18h15

 

Enquanto cada vez mais se discute o uso da tecnologia em esportes de alta performance, o MMA parece estar disposto a fazer uso deste artifício em duas decisões mais polêmicas. A Comissão Atlética Brasileira de MMA (CABMMA) divulgou nesta segunda-feira (17) que a partir de agora passará a contar com o uso de replay instantâneo em eventos regulados pela entidade.

A Ag. Fight entrou em contato com a CABMMA e foi informada que essas alterações já estarão em prática a partir da data de hoje, ou seja, no UFC São Paulo, evento programado para o dia 19 de novembro, o replay já estará disponível para ser utilizado.

De acordo com o comunicado da entidade, o uso do artifício será feito de forma bem específica e não irá interferir em decisões práticas do árbitro durante a luta. O ‘Replay Instantâneo’ será feito para avaliar condutas ilegais de lutador no momento final de um combate. Ou seja, o recurso só será válido para definir se o resultado final ou a paralisação da luta foi correta.

Neste caso, se o árbitro central avaliar que alguma ação ilegal motivou o término do duelo, ele pode deixar a decisão para os juízes laterais, declarar a luta sem vencedor ou até mesmo desclassificar um atleta. A CABMMA informou ainda que outras comissões ao redor do mundo já são autorizadas a usar o replay instantâneo.

Veja abaixo na íntegra o comunicado divulgado pela CABMMA:

O uso do Replay Instantâneo no MMA deve ser definido nos parâmetros que asseguram a igualdade na competição e um resultado adequado ao final do combate. O uso do Replay Instantâneo pode não ser possível em eventos menores que não estejam sendo gravados ou que não disponibilizem as imagens adequadas para a Comissão.

Devido às complexidades envolvidas no MMA, o árbitro só pode usar o Replay Instantâneo quando sentir que a “Sequência Final do Combate” tenha sido causada possivelmente por uma ação ilegal (falta), seja intencional ou não intencional. Em tal momento o árbitro, e somente o árbitro, pode pedir uma revisão dos últimos momentos do combate. Uma vez que revisto o replay, o árbitro pode confirmar ou não se uma falta foi cometida e tenha provocado o término do combate na sequência, tomando as medidas apropriadas. Deve-se notar que o Replay Instantâneo não é para ser usado para avaliar as ações do árbitro.
Exemplos disso incluem:
1. O Combate foi interrompido no momento certo?
2. Houve um "tapout"?
3. Um lutador cometeu uma falta, mas que não trouxe um fim ao combate?

Se um árbitro utilizar o Replay Instantâneo, as informações obtidas a partir do replay não podem ser usadas para reiniciar o combate, já que ele foi oficialmente declaro por encerrado. A única finalidade do Replay Instantâneo no MMA é permitir que o árbitro faça o correto e justo na hora de definir o resultado final do combate, decidindo:
1. O vencedor da luta;
2. Levar o combate para os scorecards dos juízes, para uma decisão técnica; (dependendo do round em que combate tenha sido encerrado);
3. Se o combate será um “No Contest”;
4. Desclassificação.

Quer receber notícias de MMA de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo