Esporte

Lutadores têm ingressos para eventos negados e se revoltam com UFC

Alex Trautwig/Getty Images
Decisão de quem recebe ingressos aparenta ser de Dana White, presidente do UFC Imagem: Alex Trautwig/Getty Images

Ag. Fight

01/12/2016 07h30

 

Recentemente vendido ao conglomerado WME/IMG por cerca de 4 bilhões de dólares (aproximadamente R$ 14 bilhões), o UFC parece ter mudado sua política em relação aos lutadores. Antes da negociação era comum a disponibilização de ingressos dos eventos para os competidores que trabalham na franquia mas, ao que tudo indica, essa postura parece ter ficado para trás. Os atletas Anthony Johnson e Joanne Calderwood revelaram a situação de deixarem claro que não aprovam a nova postura da organização.

Ao que tudo indica, os competidores agora devem solicitar os ingressos com antecedência e, ainda assim, depender da aprovação do UFC. Sétima colocada na divisão peso palha (52 kg), a escocesa expôs em uma de suas redes sociais a situação pela qual passou na última terça-feira. Ela admitiu estar decepcionada com a organização, além de demonstrar um sentimento de estar sendo desvalorizada dentro do evento.

“Como lutadora eu sei que não recebemos muito de volta e nosso caminho nunca é fácil. Nos sacrificamos muito e na maioria das vezes estamos duros. Eu estou comendo graças às minhas economias para poder pagar a mim para melhorar como lutadora, para que então eu possa vencer e estar em lutas melhores. De qualquer maneira eu queria muito viajar a Toronto (Canadá) para torcer por alguns companheiros da ‘Tristar’ (academia onde treina). Depois de enviar um e-mail e solicitar os ingressos, eu ainda estou chocada depois de receber isso (resposta negativa)… dizer que estou chateada é pouco”, disse.

Quem também afirmou ter passado pela mesma situação foi Anthony Johnson, atual primeiro colocado entre os desafiantes da divisão meio-pesado (93 kg). O lutador, em entrevista a edição mais recente do programa ‘The MMA Hour’, admitiu ter seu pedido para comparecer ao UFC Nova York rejeitado, mas espera que sua solicitação para a edição 206 seja diferente, visto que ele protagonizaria a luta principal antes de Daniel Cormier se lesionar.

“Então, quando eu pedi ingressos para o UFC 205 eu ouvi um grande ‘não’. É, eles não estavam dando os ingressos porque já estava esgotado, pelo que ouvi. Independente da desculpa, isso é o que é e já passou. Caramba, eu estava programado para lutar no UFC 206 e agora isso não vai mais acontecer, então eu espero que pelo menos me deixem ir e encontrar meus fãs, ser legal com eles e lhes dar algo em troca, porque muitos pagaram o pay-per-view e compraram ingressos por causa de mim e do Daniel (Cormier)”, disse.

Quer receber notícias do MMA de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo