Esporte

Demetrious Johnson atropela campeão do TUF e encosta em recorde de Anderson

John Locher/AP
Demetrious Johnson comemora vitória sobre Tim Elliott Imagem: John Locher/AP

Ag. Fight

04/12/2016 04h28

Realizada neste sábado (3) na cidade de Las Vegas (EUA), a 24 edição do TUF Finale, show que celebra o encerramento do reality show do UFC, contou com a disputa do cinturão dos pesos-moscas (57 kg) entre Demetrious Johnson e Tim Elliott como grande atração da noite. E como esperado, ‘DJ’ atropelou de novo, anotou sua nona defesa de título seguida e encostou no recorde histórico de Anderson Silva.

No entanto, o começo esteve longe de ser fácil. Assim como muitos dos rivais do campeão, Elliott partiu com tudo para cima para tentar surpreender e foi derrubado. Mas uma vez no chão, o campeão do TUF encaixou uma guilhotina e depois um triângulo de mão que levantou a torcida e deixou ‘DJ’ em desvantagem por quase quatro minutos.

Já na segunda etapa, porém, o preparo físico fora do comum e o leque de posições mais variado do MMA atual voltaram a fazer de Demetrious um atleta superior em praticamente todos os aspectos do combate. Mesmo quando caía por baixo, ele rapidamente levantava, derrubava, pegava as costas e confirmava que sua supremacia não era por acaso.

No terceiro assalto, após nova guilhotina do rival, o campeão esperou o momento exato para defender e já cair por cima, na meia guarda. Dali, o ground and pound preciso voltou a calar a torcida, que torcia alucinada pelo azarão, que vendia caro cada posição (embora seguisse sempre em desvantagem).

No quarto assalto, Demetrious deixou o oponente se empolgar em pé para, na sua brecha, anotar dois cruzados precisos, derrubar e encaixar justo estrangulamento. Após resistir ao golpe e escapar da posição, Elliott recebeu gritos de incentivo da torcida, como em uma partida de futebol. Mas, instantes depois, o rival “carrapato” já estava em sua lateral batendo sem parar diante de uma já quieta plateia. Nova vitória parcial: 39 x 37.

Com a vitória garantida, DJ apenas administrou o resultado no round final e se limitou a dominar as ações diante de um cansado oponente. Por cima, mais uma vez no chão, a contundência dos golpes, que se não haviam dado cabo do rival até ali e não teriam porque serem usados, deram lugar às posições justas e certerias. Passagens de guarda a cada reposição de Elliott garantiram a ação necessária para que a disputa não voltasse em pé. Para tristeza da torcida.

Com o triunfo, Johnson agora soma nove defesas de cinturão seguidas, mesma marca de Georges St-Pierre e uma a menos do que o recorde histórico de Anderson Silva.

Duelo de vices

Primeiro e segundo do ranking oficial dos pesos-moscas (57 kg) do UFC, Joseph Benavidez e Henry Cejudo entraram no octógono neste sábado com a missão de deixar claro quem é o segundo melhor do mundo na categoria. Afinal, ambos só haviam sido derrotados nesse peso por Demetrious Johnson, campeão absoluto, o que tornava o embate ainda mais emocionante.

E após três rounds intensos, a torcida não teve do que reclamar. Melhor na curta distância, Cejudo provou que melhorou seu boxe e dominou o centro do cage e encurralou o rival diversas vezes. No entanto, dois golpes baixos aplicados lhe garantiram um ponto a menos, o que apontaria para um momentâneo empate de 9 x 9 nas papelatas dos jurados.

Nas etapas seguintes, porém, o equilibrio tomou conta do cage. Enquanto Benavidez usava mais variações com chutes altos e trocas de base, Cejudo pressionava mais e tentava quedas. Com assaltos difíceis de serem julgados, surgiu a expectativa de que os atletas pudessem deixar o octógono sem que nenhum deles fosse o vencedor.

De fato, dois árbitros tiveram visões compreensíveis. Um deles viu vantagem nos rounds 2 e 3 para Cejudo e o outro para Benavidez, marcando 29 x 27 para seus favoritos. Eis então, que o terceiro jurado anotou um impensável 30 x 26 para Benavidez, o que significa que ele apontou o lutador vencendo todas as etapas e ainda descontou o ponto negativo para o adversário pelos golpes baixos. Instantaneamente a torcida passou a vaiar a decisão, que apagou o brilho da disputa mais movimentada da noite.

Batalha de gigantes

Em noite liderada por atletas de divisões mais leves, os meio-pesados (93 kg) Jared Cannonier e Ion Cutelaba protagonizaram um duelo repleto de emoções e troca franca de golpes. E, apesar de começar melhor, o representante da República de Moldova que se fantasia de ‘Hulk’ nas pesagens cansou e levou a pior na decisão dos jurados.

Logo de cara, Cutelaba partiu para cima, alternou cruzados, diretos e quedas e imprimiu ritmo forte que atordoou o rival no primeiro assalto. No entanto, o esforço exigiu mais energia do que ele estava preparado para gastar e na segunda etapa Jared Cannonier tomou conta das ações com fortes golpes nas saídas dos movimentos que empataram a disputa.

No terceiro e último round, não teve jeito. Mais inteiro fisicamente, Jared Cannonier baicou a guarda, dominou todos os aspectos da luta e levantou a torcida com seu estilo agressivo e franco. Um prato cheio para quem gosta de emoções!

Decepção da noite

Especialista em jiu-jitsu, revelado para o mundo do MMA pelo reality show The Ultimate Fighter em 2015 e promessa para a divisão dos penas (66 kg), Ryan Hall deveria travar um duelo de peso contra Gray Maynard, ídolo do wrestling americano e veterano do MMA. No entanto, a disputa final do card preliminar deixou a desejar. E muito!

Com estilos completamente diferentes, os atletas se preocuparam mais em anular as habilidades um do outro do que em atacar de fato. Buscando a curta distância na trocação mais sem disposição para ir ao chão, Maynard buscava golpes potentes para abalar o oponente, que abusava de chutes altos na longa e de tentativas frustradas para chamar para a guarda quando o perigo aparecia. Desta forma as vaias da plateia do Hotel Cassino Palms não demoraram a chegar.

Com a repetição sistemática dessa dinâmica por três assaltos, Hall não teve problemas para vencer por decisão unânime dos jurados, em confronto marcado pela decepção da torcida, que esperava por um confronto capaz de fechar com chave de ouro a primeira parte da noite.

Confira os resultados do TUF Finale 24:

Demetrious Johnson venceu Tim Elliott por decisão unânime;
Joseph Benavidez venceu Henry Cejudo por decisão dividida;
Jorge Masvidal venceu Jake Ellenberger por nocaute técnico no 1º round;
Jared Cannonier venceu Ion Cutelaba por decisão unânime;
Sara McMann finalizou Alexis Davis no 2º round;
Brandon Moreno venceu Ryan Benoit por decisão dividida;
Ryan Hall venceu Gray Maynard por decisão unânime;
Rob Font nocauteou Matt Schnell no 1º round;
Dong Hyun Kim venceu Brendan O’Reilly por decisão unânime;
Jamie Moyle venceu Kailin Curran por decisão unânime;
Anthony Smith nocauteou Elvis Mutapcic no 2º round;
Devin Clark venceu Josh Stansbury por decisão unânime.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo