Esporte

BJ Penn afasta sonho de novo cinturão em volta ao UFC: "Senti falta de confrontar"

05/12/2016 06h00

Re

BJ Penn retorna ao octógono do UFC no dia 15 de janeiro, nos EUA – Reprodução/ site UFC

BJ Penn é um dos maiores nomes da história do MMA mundial. Membro do Hall da Fama do UFC e um dos três únicos lutadores a serem campeões em duas categorias de peso diferentes, o veterano de 37 anos passou por uma temporada conturbada em 2016. E mesmo após três cancelamentos de seu retorno ao octógono, o havaiano garante que ainda não desistiu da ideia de voltar a lutar.

Sem competir desde julho de 2014, e sem vencer uma disputa desde novembro de 2010, Penn tem duelo marcado para janeiro de 2017 contra Yair Rodriguez, quando poderá colocar fim à ‘zica’ que o impediu de se apresentar neste ano – problemas judiciais, flagra no doping e lesão cancelaram três datas marcadas anteriormente. No entanto, ele deixa claro que um novo cinturão não está entre suas motivações para isso.

“Nós queremos mais um cinturão. Mas não ”, brincou o atleta durante conversa com a reportagem da Ag. Fight em Las Vegas. “Amo isso, senti falta de confrontar. Gosto de lutar, não é um fardo, eu curto isso. É sobre fazer isso ou algo mais, e eu prefiro isso”, narrou apontando para o ambiente criado para a edição final do TUF 24, nos EUA, realizado no último sábado.

Vencedor entre os meio-médios (77 kg) e leves (70 kg), Penn agora se apresentará como peso-pena (66 kg). E em outra importante mudança em sua carreira, o atleta se mudou do Havaí para treinar em tempo integral na cidade de Albuquerque, no Novo México, com o time de Jon Jones, Donald Cerrone e outras feras do esportes.

“Não sei se foi a coisa certa a se fazer. Não sei o que é certo ou errado, mas acho que a melhor coisa para mim agora era sair do Havaí. Lá eu tenho muitas coisas para fazer que me matinham longe das lutas. Para competir, você precisa estar focado, tudo tem que ser sobre luta”, analisou. “É, talvez eu poderia ter sido melhor , mas eu acho que esse é o jeito que tinha que acontecer. Penso que tudo acontece por uma razão, e isso é o que aconteceu. Sem ressentimentos”

Ao ser questionado sobre o flagra no exame antidoping por uso de reposição intravenosa acima do permitido e as mudanças que a chegada da USADA (agência americana de controle antidoping) trouxe ao esporte, Penn foi mais cauteloso e preferiu abordar apenas o aspecto de transição pelo qual todos os competidores passam no momento.

“O esporte mudou muito com a chegada da USADA. Claro que alguns lutadores foram afetados por ela, é uma coisa complicada para se controlar, mas algo tinha que ser feito. Então é isso que está acontecendo”, finalizou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo